Ex-mulher de Jeff Bezos doou mais de 4 mil milhões de dólares nos últimos 4 meses

Scott vale mais de 60 mil milhões de dólares (49 mil milhões de euros) e foi considerada a mulher mais rica do mundo em setembro de 2020 pela “Forbes”.

4. Mackenzie Bezos

MacKenzie Scott, a ex-mulher de Jeff Bezos (dono da Amazon e o homem mais rico do mundo segundo a “Forbes”), anunciou que, só nos últimos quatro meses, doou quatro mil milhões de dólares (3,2 mil milhões de euros) a 384 organizações de caráter humanitário para ajudar com necessidades básicas, alívio de dívidas, formação de profissionais entre outras finalidades, segundo o portal “Huffpost”.

Na terça-feira, dia 15 de dezembro, a bilionária escreveu uma publicação no Medium a dizer que se inspirou pela “proliferação de frigoríficos comunitários, fundos de ajuda Covid-19, presentes, campanhas virais de alívio de dívida e iniciativas de ajuda mútua” e pediu a uma equipa de consultores para ajudá-la a “acelerar as minhas doações em 2020”.

Esses consultores, por sua vez, usaram dados para identificar “organizações com fortes equipas de liderança e resultados, com atenção especial para aquelas que operam em comunidades que enfrentam graves problemas de insegurança alimentar, medidas de desigualdade racial, pobreza local e fraco acesso ao capital filantrópico”.

Scott escreveu que nos últimos quatro meses, deu “quatro mil milhões de dólares (3,2 mil milhões de euros) em presentes para 384 organizações em todos os 50 estados, Porto Rico e Washington D.C.”. Os presentes pretendem “atender às necessidades básicas, bancos alimentares, fundos de alívio de emergência e serviços de apoio para os mais vulneráveis”, bem como “alívio de dívidas, formação de profissionais, crédito e serviços financeiros para comunidades com poucos recursos, educação para pessoas historicamente marginalizadas e carentes, grupos de defesa dos direitos civis e fundos de defesa legal que enfrentam a discriminação institucional”.

Scott prosseguiu, dizendo que “testemunhar a determinação, criatividade e compaixão das pessoas durante uma crise foi inspirador” e implorou a outros com os meios para apoiar qualquer uma das organizações que ela listou na sua publicação a ajudar.

Scott vale mais de 60 mil milhões de dólares (49 mil milhões de euros) e foi considerada a mulher mais rica do mundo em setembro de 2020 pela “Forbes”. Em maio de 2019, assinou o Giving Pledge, a campanha filantrópica criada por Warren Buffett e Bill e Melinda Gates que tem signatários que se comprometem a “doar a maioria de sua riqueza para a filantropia ou causas de caridade, seja durante as suas vidas ou nos seus testamentos”.

Recomendadas

Topo da Agenda: o que não pode perder nos mercados e na economia esta semana

A semana arranca com os mercados a reagir à vitória do partido extrema-direita liderado por Giorgia Meloni em Itália. Esta segunda-feira, Christine Lagarde fala no Parlamento Europeu e, por cá, o Instituto Nacional de Estatística divulga as tábuas da mortalidade em Portugal, referentes ao período pandémico. Conheça a agenda da semana.

São Tomé/Eleições: Observadores da CPLP dizem que votação correu “acima das expetativas”

No total, onze partidos e movimentos, incluindo uma coligação, concorrem este domingo aos 55 lugares da Assembleia Nacional de São Tomé e Príncipe.

Bancos libaneses reabrem portas na segunda-feira só para serviços específicos

A decisão de reabrir, embora com limitações “a determinar por cada banco”, de acordo com a declaração da Associação Bancária, foi atribuída pela associação à “necessidade de garantir a continuidade dos serviços aos clientes” e de “assegurar os salários dos setores público e privado”.
Comentários