Exclusivo: PJ faz buscas a empresários do Norte por fraude com subsídios comunitários

Cerca de uma centena de inspetores da Polícia Judiciária estão a fazer buscas a uma dezena de empresas do Norte, por suspeitas dos crimes de fraude na obtenção de subsídios comunitários, fraude fiscal qualificada e branqueamento. Vantagem desta associação criminosa ascende a quase 3 milhões de euros.

A Polícia Judiciária (PJ) lançou esta quarta-feira a operação Dennis, estando no terreno cerca de cem inspetores da PJ a fazer buscas a empresários do Norte, nomeadamente de Famalicão e Maia, que operam em vários setores, entre os quais dos plásticos. Em causa está um inquérito do Departamento Central de Investigação e Ação Penal (DCIAP), que investiga suspeitas de associação criminosa, fraude na obtenção de subsídios comunitários, fraude fiscal qualificada e branqueamento de capitais. O grupo de empresários terá obtido uma vantagem de 2,7 milhões de euros, através de um esquema que visava a criação de sociedades fictícias, sabe o Jornal Económico.

Este esquema tinha o intuito de criar faturação fictícia para justificar despesas e, através delas, permitir candidaturas a fundos comunitários do Portugal 2020, nomeadamente fundos para a internacionalização e modernização industrial.

O Jornal Económico sabe que, paralelamente, à operação Dennis ocorrem outras buscas na Câmara Municipal de Santo Tirso. Em causa está a aquisição de uma viatura elétrica a uma das sociedades visadas na operação desencadeada esta quarta-feira. Neste caso, na mira da PJ, está o vice-presidente da autarquia, Alberto Costa, e uma chefe de divisão do município.

 

Recomendadas

PremiumJustiça mantém-se como principal custo de contexto dos empresários portugueses

Apesar de uma ligeira melhoria em relação a 2017, o peso do sistema judicial na atividade das empresas continua a ser o principal entrave à sua produtividade. PRR não traz melhorias.

PremiumPorto Law Summit debate sociedades multidisciplinares

As sociedades multidisciplinares – formadas por advogados e outros profissionais – estão a chegar. O bastonário Luís Menezes Leitão, que se recandidata ao cargo, não está disponível para as aceitar.

Duarte Lima sujeito a apresentações periódicas às autoridades

A informação foi adiantada pelo Conselho Superior da Magistratura, após indicação da Comarca de Lisboa Oeste. Esta medida de coação junta-se ao termo de identidade e residência que tinha na condição de arguido deste processo.
Comentários