Executivos estão a adotar uma nova abordagem em relação aos custos, diz Accenture

Estudo da consultora revela que as medidas tradicionais de cortes de custos já não são suficientes. A estratégia deve ter em conta o crescimento, a sustentabilidade e a inovação das empresas.

O relatório Zero-Based Transformation: The Big Reset da consultora Accenture, que teve como base  um questionário global realizado a 2.000 executivos C-level de 15 indústrias diferentes, conclui que é urgente mudar a estratégia de redução de custos tradicionalmente adotada.

Os líderes reconhecem que as futuras estratégias de custos devem estar alinhadas com o crescimento, a sustentabilidade, a inovação, e focadas em criar novas capacidades apoiadas pela tecnologia.

Segundo o documento, 92% dos inquiridos diz que as transformações não devem contemplar apenas as questões financeiras, mas que é necessário considerar o seu impacto na sustentabilidade e propósito da empresa. “A prioridade não deverá ser apenas o lucro, mas sim o crescimento responsável”, salienta o documento.

Paralelamente, “os líderes de hoje procuram reformular os negócios de forma abrangente, em vez de se concentrarem em apenas uma ou duas áreas como faziam anteriormente”. Com efeito, praticamente todos os executivos (96%) indicaram que os planos de transformação de custos abrangem todas as áreas do negócio.

“Nas empresas que saíram do modo de sobrevivência e arriscaram numa transformação abrangente, os líderes perceberam rapidamente que não poderiam olhar para os custos como um simples procedimento anual”, salienta Pedro Galhardas, Managing Director e responsável pela área de Strategy e Consulting da Accenture Portugal. “Começar com uma abordagem zero-based alicerçada em tecnologia permite aos líderes repensar o negócio, redefinir a base de custos e disponibilizar fundos para prioridades estratégicas que potenciam o crescimento, criam resiliência e respondem melhor às necessidades dos stakeholders”.

O relatório evidencia ainda a importância da tecnologia na transformação estratégica dos custos, uma vez que esta permite que a empresa tenha visibilidade sobre os custos possibilitando a gestão e a recalibração em tempo real, bem como o planeamento de possíveis cenários futuros.

Aproximadamente 70% dos inquiridos dizem estar a investir na utilização de tecnologias como a inteligência artificial, ferramentas digitais e cibersegurança para otimizar processos. Sem este investimento, 80% dos executivos perspetivam desafios contínuos para a transformação dos custos.

Recomendadas

JE Podcast: Ouça aqui as notícias mais importantes desta segunda-feira

Da economia à política, das empresas aos mercados, ouça aqui as principais notícias que marcam o dia informativo desta segunda-feira.

Maiores bancos espanhóis preparam-se para contestar taxa sobre lucros “caídos do céu”

Os bancos espanhóis vão avançar com uma ação legal contra a contribuição sobre os lucros inesperados, de acordo com fontes próximas dessas instituições. Em Portugal, a medida não se aplica à banca. Antes, é exigida às empresas do sector da energia e da distribuição alimentar.

CEO do TikTok vai ser ouvido nos Estados Unidos

O CEO da plataforma vai explicar e informar quais as políticas de privacidade da rede social, o impacto desta nos utilizadores mais novos e qual a sua relação com o Partido Comunista Chinês.
Comentários