Existem compradores europeus a cumprir exigências de Putin e a pagar gás russo em rublos (com áudio)

A garantia foi dada esta quarta-feira por uma fonte da gigante Gazprom à “Bloomberg”, isto no dia em que Moscovo anunciou o corte no fornecimento de gás à búlgara Bulgagraz e à polaca PGNiG.

Reuters

A exigência de pagamento de gás russo em rublos por Moscovo levou a, pelo menos, 10 compradores europeus de gás a abrirem contas na Gazprombank, sendo que quatro já pagaram fornecimentos na moeda russa.

A garantia foi dada esta quarta-feira por uma fonte da gigante Gazprom à “Bloomberg” que não revelou quem são os compradores. Recorde-se que também hoje Moscovo anunciou o corte no fornecimento de gás à à búlgara Bulgagraz e à polaca PGNiG , argumentando a falta de pagamentos na moeda russa.

Antecipa-se que a Rússia avance com mais cortes uma vez que a maioria dos compradores europeus têm estado a rejeitar os termos do Kremlin, relembrando que os contratos assinados exigiam pagamentos em dólares ou euros. De acordo com a fonte da Gazprom, os próximos cortes deverão ocorrer em meados de maio.   A Rússia fornece gás por gasodutos para 23 países europeus.

A 30 de março, Vladimir Putin anunciou que o fornecimento de gás russo teria que ser pago, a partir de 1 de abril, em rublos e não em dólares ou euros. Se não o fizerem, tal será considerado uma quebra de contrato e o fornecimento será suspenso, segundo o decreto assinado pelo presidente Rússia que envia um alerta claro à Europa, dependente em um terço do gás de Moscovo.

Os compradores deverão depositar numa conta especial no banco da Gazprom, a energética estatal russa, o dinheiro em moeda estrangeira, que será utilizado para a compra de rublos. Estes serão reenviados aos compradores de gás de forma a que possam concluir os pagamentos.

 

 

Recomendadas

Vladimir Putin teve cancro, diz realizador Oliver Stone

Vencedor de quatro Óscares da Academia, Oliver Stone entrevistou o presidente russo entre 2015 e 2017 e acredita que Putin tenha recuperado da doença. 

Ucrânia: EUA acabam com exceção que permitia à Rússia pagar dívida em dólares

Prevista no âmbito das drásticas sanções impostas a Moscovo devido à invasão da Ucrânia, a exceção acabará às 00:01 de quarta-feira (05:01 de Lisboa), dois dias antes do próximo prazo de pagamento da Rússia.

CEO da Microsoft destaca plataforma para ajudar a Ucrânia criada por português

Satya Nadella diz que o “Ukraine Live Aid”, para prestar apoio aos refugiados ucranianos, foi um dos trabalhos “significativos” e “muito necessários” que feitos com as Power Pages da Microsoft.
Comentários