Exportação. Preço do vinho alentejano atinge máximos de cinco anos

O preço médio por litro atingiu os 3,46 euros – o valor máximo dos últimos cinco anos. A subida do preço do vinho alentejano foi acompanhada por um incremento de 14% em valor e de 9% em volume, contabilizando-se a exportação de um total de 16,3 milhões de litros de vinho da região alentejana.

O preço do vinho alentejano cresceu 4,4% em 2021, face ao mesmo período de 2020, alicerçado pelas exportações para os mercados internacionais, revela a Comissão Vitivinícola Regional Alentejana (CVRA) esta terça-feira, dia 14 de dezembro.

O preço médio por litro atingiu os 3,46 euros – o valor máximo dos últimos cinco anos. A subida do preço do vinho alentejano foi acompanhada por um incremento de 14% em valor e de 9% em volume, contabilizando-se a exportação de um total de 16,3 milhões de litros de vinho.

Entre os países que mais compraram o vinho português produzido no Alentejo, destacam-se: Brasil (+6% em valor e +1% em litros de vinho), Suíça (+7% em valor e +3% em litros de vinho) e Polónia (+17% em valor e +11% em litros de vinho).

Francisco Mateus, presidente da CVRA, afirma que “os resultados registados, tanto ao nível do preço médio por litro, como do aumento das exportações dos vinhos da região, dão-nos fortes sinais de que o ano de 2021 poderá ser encerrado com chave de ouro. Naturalmente que sentimos as dificuldades decorrentes da situação pandémica, nomeadamente no que diz respeito ao mercado nacional, às carências de mão de obra ou aos atrasos no transporte de mercadorias. No entanto, este balanço dá-nos um novo alento e encoraja os produtores a continuarem a afirmar o vinho do Alentejo além-fronteiras”.

Para a CVRA, o preço pode ser um fator decisivo para o crescimento em mercados estratégicos, uma vez que há cada vez mais consumidores que valorizam o facto de o preço médio ser superior para adquirir um vinho. “O preço é um selo de qualidade e posicionamento”, sublinha Francisco Mateus.

Ainda em alta, e a registar um crescimento acentuado face ao ano de 2020, estiveram o Reino Unido, com uma subida de 88% em valor e 69% em volume de vinho importado, e o mercado espanhol que duplicou as suas compras, com uma subida de mais 101% em valor e em volume. Também o mercado australiano está em destaque, com um crescimento de 211% em valor e 236% em volume, tendo passado, assim, a integrar a lista dos 20 principais destinos de exportação de vinhos do Alentejo.

Os vinhos certificados com Denominação de Origem Controlada (DOC) tiveram um incremento de 5,6% no seu valor médio por litro, tendo, por sua vez, o vinho Regional, crescido 3%.

Recomendadas

Confederações agrícolas unem-se contra extinção das direções regionais do sector

Em comunicado conjunto enviado esta quarta-feira às redações, AJAP, CAP, CNA e Confagri referem que o entendimento “unânime” é de que a decisão é “altamente lesiva” para o sector agrícola. No documento, apela-se a que o Governo volte atrás na decisão, de forma imediata e inequívoca.

“Apoio ao rendimento dependerá de produção sustentável”, diz ministra da Agricultura

A ministra da Agricultura e da Alimentação considera que a reforma da Política Agrícola Comum vai valorizar a pequena e média agricultura, de proximidade e circuitos curtos, apostando em simultâneo no reforço da competitividade.

Escola Agrária de Elvas ensina agricultura sustentável há 22 anos

Muito antes das orientações estratégicas da ONU ou de Bruxelas, já o Politécnico de Portalegre, oferecia um mestrado em agricultura sustentável. O tema, um dos grandes desafios da humanidade, impulsiona ofertas no ISA e no IPLeiria.
Comentários