Exportações de vinho atingem 677 milhões até setembro com subida em valor e quebra em volume

As exportações de vinhos portugueses ultrapassaram os 677 milhões de euros até setembro, registando uma subida de 0,97% em valor e uma quebra de 0,59% em volume, indicou a ViniPortugal.

“No período que decorreu entre janeiro e setembro deste ano, as exportações totais dos vinhos portugueses atingiram os 677,3 milhões de euros, apresentando um crescimento em valor de 0,97% e em preço médio de 1,57%”, divulgou hoje a ViniPortugal.

Contudo, em termos de volume, foram exportados 243.554.290 litros, uma quebra de 0,59% face a igual período de 2021.

Neste período, as exportações para o México mais do que duplicaram (114,8%).

Seguem-se, com os maiores aumentos, Angola (86%) e o Canadá (7,58%).

Ainda assim, os cinco principais mercados de exportação foram os EUA, França, Reino Unido, Brasil e Canadá.

Excluindo o vinho do Porto, as exportações aumentaram 3,51% em valor, 1,09% em volume e 2,39% no que se refere ao preço médio, face a igual período de 2021.

Por região, o vinho do Porto foi o mais exportado, entre janeiro e setembro, mas a região do Dão teve o maior crescimento percentual (22,49%).

“Embora com algumas quebras durante estes meses, muito devido ao contexto de guerra que levou à falta de matéria-prima, pondo em causa a produção e alguns constrangimentos na distribuição, no total deste período, as exportações apresentam um resultado positivo para os vinhos portugueses”, assinalou, citado na mesma nota, o presidente da ViniPortugal, Frederico Falcão.

A ViniPortugal é a Associação Interprofissional do Vinho, que tem por objetivo promover a imagem de Portugal enquanto produtor de vinhos.

Recomendadas

Inspetores do SEF vão transitar “em bloco” para Polícia Judiciária

No âmbito da reestruturação do SEF, que está em curso, o governante revelou, em Évora, que está prevista esta transição “em bloco” dos inspetores de investigação e fiscalização desse organismo para a PJ, indo ao encontro do que os mesmos desejavam.

Pandemia custou ao Estado português 3.302,7 milhões de euros até outubro

No período homólogo, a pandemia de covid-19 tinha custado 6.247,9 milhões de euros ao Estado, segundo foi então divulgado pela Direção-Geral do Orçamento.

OE2022: Receita fiscal aumenta 19% até outubro para 42.945 milhões de euros

“Em termos acumulados, a receita fiscal líquida do subsetor Estado até outubro de 2022 aumentou em 6.858,8 milhões de euros (+19%) face ao valor registado no mesmo período de 2021, no qual estavam em vigor restrições à atividade económica devido à pandemia covid-19”, pode ler-se na síntese da DGO.
Comentários