PremiumExportações insuficientes para superar crescimento do PIB deste ano

Governo vê a economia nacional a crescer 1,9% em 2020, mas instituições nacionais e internacionais estão menos otimistas. Exportações asseguram desempenho, com menor contributo interno no Produto Interno Bruto.

O arranque da década não deverá trazer grandes surpresas na performance da economia portuguesa. Em 2020, o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) não ultrapassará o deste ano, nem nas projeções mais otimistas, que cabem ao Governo.

As Finanças veem a economia portuguesa a crescer 1,9% em 2020, o mesmo que em 2019.

No entanto, a maioria das instituições nacionais e internacionais estão mais conservadoras.

Num intervalo que varia entre os 1,6% (FMI) e os 1,8% (OCDE), a Comissão Europeia, o Banco de Portugal e o Conselho de Finanças Públicas alinham estimativas e veem o PIB a registar uma expansão de 1,7%.

No Terreiro do Paço, a estabilização do crescimento de 1,9% alicerça-se sobretudo num crescimento da procura externa que permite compensar o menor contributo do consumo interno, mas os analistas consultados pelo Jornal Económico mostram-se mais cautelosos sobre o impacto benigno do atenuar de alguns focos de tensão internacionais na reta final do ano.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor

Recomendadas

Comunidades pedem a António Costa que resolva “discriminação” de pensionistas

O Conselho Regional das Comunidades Portuguesas na Europa (CRCPE) endereçou hoje uma carta ao primeiro-ministro de Portugal a solicitar a atualização das pensões e reformas para evitar perdas do valor futuro das pensões e reformas dos portugueses no estrangeiro.

JMJLisboa2023. Portugal terá retorno económico de cerca de 350 milhões de euros

A Jornada Mundial da Juventude (JMJ), que se realiza no próximo mês de agosto em Lisboa, vai ter um retorno económico para Portugal de cerca de 350 milhões de euros, revelou hoje o coordenador do evento nomeado pelo Governo.

Câmara de Grândola aprova nova descida do IMI e alargamento do IMI familiar

A Câmara Municipal de Grândola aprovou, na passada quinta-feira, as propostas de redução do IMI de 0,34% para 0,33%, e de alargamento do IMI familiar para famílias com um dependente. Reduções que são para vigorarem em 2023.
Comentários