Facebook acusa Apple de anti concorrência nas alterações de privacidade

Em causa está uma notificação no sistema iOS14 que irá pedir aos utilizadores permissão de rastreamento por parte das aplicações.

A Facebook acusou esta quarta-feira a Apple de se envolver em práticas anti concorrenciais em torno das alterações de privacidade que a dona do iPhone planeia implementar para o sistema iOS14.

“A Apple está a comportar-se de forma anti concorrencial, utilizando o controlo que tem da App Store para favorecer os seus resultados financeiros às custas dos criadores e dos pequenos negócios. Ponto final”, declarou o vice-presidente de Ads & Business Products da rede social, citado pela agência Reuters.

Em conferência de imprensa, Dan Levy explicou que, embora a Facebook discorde da abordagem da tecnológica liderada por Tim Cook, irá cumprir as novas regras por falta de opção. “Não temos escolha se queremos que a nossa aplicação esteja disponível na App Store [loja de apps da Apple]”, referiu aos jornalistas.

O ataque à Apple tem sido feito inclusive através dos meios de comunicação social. O maior grupo de redes sociais do mundo veiculou anúncios nos principais jornais norte-americanos a criticar os planos da Apple, que na prática limitarão a capacidade de as aplicações reunirem dados dos smartphones dos utilizadores que depois costumam ser utilizados para conteúdos publicitários personalizados.

No passado mês de junho, a Apple esclareceu que essas mudanças no controlo da privacidade do iPhone e iPad requerem, por exemplo, uma notificação pop-up a solicitar aos utilizadores do iOS “permissão para rastreá-lo em aplicações e sites de outras empresas”. O problema desta alteração para o Facebook é o facto de as empresas de publicidade digital anteverem que a maioria das pessoas negue essa permissão.

Recomendadas

Robô da Tesla deve ser apresentado esta sexta e pode começar a ser produzido em 2022

O CEO da marca, Elon Musk deve apresentar um protótipo do robô que foi anunciado pelo próprio em agosto do ano passado e que poderá começar a ser produzido no próximo ano.

Prémio Social CEO escolhe Mário Ferreira como “o mais digital”

O “Prémio Social CEO” avalia a performance dos Diretores Executivos de empresas em todas as plataformas digitais. De entre os 30 nomeados, Mário Ferreira, CEO da Douro Azul, foi considerado o líder mais digital, seguindo-se Miguel Pina Martins, CEO da Science4You, e Nuno Ferreira Pires, CEO da Sport TV.

Especialistas apontam transformação digital como plano estratégico das empresas

Painel dedicado aos desafios da transformação digital das organizações abordou também a necessidade de investimento no sector tecnológico de forma a reter o talento nacional que cada vez mais abandona as empresas nacionais por questões salariais.
Comentários