Facebook está a criar uma criptomoeda para o Whatsapp

A rede social de Zuckerberg está a desenvolver uma moeda digital própria que poderá ser transferida entre os utilizadores do Whatsapp.

Dado Ruvic/REUTERS

A rede social Facebook revelou estar a desenvolver uma nova moeda virtual para ser usada no aplicação de mensagens, Whatsapp, avança a ”Bloomberg”, esta sexta feira.

Foi em 2009 que a rede social apresentou a primeira versão da moeda digital, o Facebook Coin, destinada para os jogos da rede social e tendo apenas durado dois anos. Agora, quase uma década depois, a rede social prepara-se para fazer uma nova tentativa.

De acordo com a agência noticiosa, que cita fontes próximas da empresa, Mark Zuckerberg está a trabalhar num plano para o lançamento de uma stablecoin baseada na tecnologia blockchain. Este tipo de moeda virtual diferencia-se das restantes pela menor volatilidade já que o seu valor estará indexado ao do dólar norte-americano.

Ainda sem data prevista de lançamento, a ideia do Facebook é que esta moeda fique disponível através do serviço de mensagens, Whatsapp. Sendo que a primeira fase do trial estará focado no mercado indiano, já que é lá que tem o maior número de utilizadores. Só na Índia o Whatsapp tem mais de 200 milhões de utilizadores dos 2,5 mil milhões espalhados por todo o mundo.

 

Relacionadas

Facebook confirma que partilha de dados pessoais foi feita com permissão dos utilizadores

A gigante tecnológica explica que nenhuma das empresas terceiras, como a Netflix, Airbnb e Spotify, teve acesso aos dados de utilizador sem a o seu consentimento prévio.

Redes Sociais: Se os ‘likes’ do Facebook contassem o PAN era Governo

O campeão da comunicação política na rede social criada por Mark Zuckerberg é o partido PAN (Pessoas-Animais-Natureza). Tem quase tantos seguidores como os partidos da gerigonça juntos e, em termos de interações, gana aos restantes partidos por larga maioria.

YouTube, Facebook e Instagram ‘ajudaram’ Trump a chegar à Casa Branca, indica novo relatório

Relatório do Senado norte-americano indica provas de que os agentes russos procuraram ajudar Trump a ganhar as eleições de 2016. YouTube, o Tumblr, o Pinterest, o Instagram e o Google+ foram afetados pela interferência da Rússia, bem como pelo Facebook e Twitter.
Recomendadas

União Europeia, G7 e Austrália limitam barril de petróleo russo a 60 dólares

Os 27 estados-membros da UE chegaram a acordo, esta sexta-feira, no estabelecimento de um teto máximo para o preço do petróleo russo nos 60 dólares por barril. Os sete países mais industrializados do mundo (G7) e a Austrália juntam-se na decisão.

Imigrantes do Bangladesh denunciam extorsão para obter vistos para Portugal

Um dos problemas para os bengalis está no facto de não existir representação diplomática portuguesa no seu país, o que os força a terem que recorrer à vizinha Índia. Entre Daca, capital do Bangladesh, e Nova Deli, capital da Índia, distam mais de 1.800 quilómetros.

Governo italiano aprova envio de armas à Ucrânia para todo o ano de 2023

O Governo italiano aprovou um decreto prolongando o fornecimento de ajuda, incluindo armamento, à Ucrânia para todo o ano de 2023.
Comentários