Faculdade de Direito já reabriu, mas alunos vão protestar até ao fim do dia

O cadeado e a corrente que encerravam a porta foram retirados pelos bombeiros e faixa que cobria toda a escadaria, com a inscrição “Esta é uma Faculdade sem condições, a justiça não para”, foi retirada pelos estudantes por ordem da polícia.

Os alunos da Faculdade de Direito, em Lisboa, vão manter-se em protesto durante todo o dia em frente à faculdade, disse à Lusa o presidente da Associação Académica.

A Polícia de Segurança Pública (PSP) reabriu as portas do estabelecimento de ensino superior por volta das 9:30. Apesar de os cadeados terem sido retirados, os alunos mantiveram-se em frente às portas, impedindo a entrada, situação que levou a PSP a retirar os estudantes à força.

“Longe vão os tempos em que a polícia invadia as faculdades”, disse à agência Lusa Gonçalo Martins dos Santos, que faz um balanço positivo do protesto. “O balanço que faço da manifestação é positivo, mas o balanço que faço da polícia é negativo. Os estudantes têm razão e vamos mantermos concentrados em frente à Faculdade porque para nós hoje a Faculdade está encerrada”, disse o presidente da Associação Académica.

O cadeado e a corrente que encerravam a porta foram retirados pelos bombeiros e faixa que cobria toda a escadaria, com a inscrição “Esta é uma Faculdade sem condições, a justiça não para”, foi retirada pelos estudantes por ordem da polícia.

De acordo com o presidente da Associação Académica da Faculdade de Direito de Lisboa, Gonçalo Martins dos Santos, os estudantes estão “descontentes” e “preocupados com a forma como estão a ser avaliados”.

“No passado dia 30 de novembro de 2017, em sede de Reunião Geral de Alunos, deliberou-se o encerramento da Faculdade atendendo ao manifesto desrespeito, traduzido em inúmeras situações de incumprimento, do Regulamento de Avaliação e dos Estudantes pela Direção da Faculdade e pela maioria do seu corpo docente”, justifica a Associação.

Estudantes fecham a cadeado Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa

Recomendadas

PremiumAntigas gestoras voltam ao mercado de trabalho com a Católica-Lisbon

Programa destina-se a mulheres com background na área de gestão, finanças e economia, que estão fora há, pelo menos, dois anos. Há nova edição na forja.

PremiumParceria com Universidade Eduardo Mondlane reforça aposta da UPT na lusofonia

A cooperação entre as universidades portuguesa e moçambicana abrange as áreas da formação avançada, da mobilidade de estudantes e de ‘staff’, da formação pedagógica de docentes, bem como projetos de investigação.

Número de inscritos no ensino superior atinge máximo histórico com mais de 433 mil estudantes

“Este resultado mantém Portugal na trajetória necessária para atingir as metas de qualificação de longo prazo”, aponta o Governo.
Comentários