Faculdade de Medicina e Hospital Militar do Porto criam centro para otimizar formação

“O acordo é em prol do ensino, da investigação e da inovação em medicina”, afirmou, em declarações à agência Lusa, o diretor da FMUP, Altamiro da Costa Pereira.

A Faculdade de Medicina da Universidade do Porto e o Hospital das Forças Armadas assinam hoje um acordo para a formalização de um centro que visa otimizar a formação técnica, científica e profissional de estudantes, civis e militares.

“O acordo é em prol do ensino, da investigação e da inovação em medicina”, afirmou, em declarações à agência Lusa, o diretor da FMUP, Altamiro da Costa Pereira.

Segundo o diretor, o acordo de cooperação institucional formaliza a criação do Centro Clínico Universitário D. Pedro V no polo do Porto do Hospital das Forças Armadas e vai debruçar-se sobre “áreas de interesse” tanto para a faculdade, como para as forças armadas no campo do ensino, investigação e assistência médica.

Destacando que o acordo é uma “espécie de casamento” entre as duas instituições, Altamiro da Costa Pereira esclareceu que este “não é um centro académico clínico”, nem um “hospital universitário”, mas uma “ideia que poderá beneficiar cada uma das instituições”.

“A Faculdade de Medicina tem, neste momento, imensas dificuldades com as instalações que dispõe”, referiu o diretor, dizendo que já está prevista, no âmbito do acordo de cooperação, a realização de exames práticos da área clínica no Hospital das Forças Armadas.

“O centro é um espaço virtual que pode vir a ser objetivado no futuro dependendo dos acordos que forem sendo feitos entre o Hospital das Forças Armadas e a faculdade”, adiantou o diretor.

Altamiro da Costa Pereira salientou ainda que, de futuro e ao abrigo do acordo, podem vir a ser criadas outras valências como clínicas universitárias, um centro de simulação avançada ou um centro de telemedicina.

“É uma questão de existir interesse de ambas as partes”, realçou o diretor, adiantando que o centro vai também focar-se em áreas como a medicina de emergência, trauma, tecnologias robóticas e telemedicina.

“Este é um acordo de intenções que pode abrir portas a médicos mais jovens”, acrescentou Altamiro da Costa Pereira, notando que o acordo permitirá ainda “dar uma outra vida ao hospital” e destacando o papel do chefe de Estado-Maior-General das Forças Armadas, Almirante António Silva Ribeiro, na concretização deste centro.

O acordo entre a FMUP e o Hospital das Forças Armadas é assinado durante a tomada de posse para um segundo mandato do diretor da FMUP, Altamiro da Costa Pereira, que decorre no Salão Nobre da Reitoria da U.Porto.

Recomendadas

Urgências de obstetrícia e ginecologia mantêm-se abertas durante o primeiro trimestre do ano

Na região de Lisboa e Vale do Tejo vai ter quatro hospitais a funcionar permanentemente, já o hospital de Portimão vai ter alguns condicionamentos aos fins de semana

Pfizer regista um lucro anual em 2022 de 31,4 mil milhões de dólares

A farmacêutica registou aumentos nos lucros e nas receitas, mas espera que em 2023 haja uma quebra da faturação, devido à diminuição nas vendas de vacinas e medicamentos contra a Covid-19.

Bastonária e 13 dirigentes da Ordem dos Enfermeiros acusados de peculato e falsificação de documento

A bastonária Ana Rita Cavaco e outros 13 dirigentes da Ordem dos Enfermeiros (OE) foram acusados pelo Ministério Público (MP), cada um, de um crime de peculato e um crime de falsificação de documento, resultado de um inquérito que corria há sete anos e que investigou um alegado esquema fraudulento para pagamento de quilómetros que as autoridades acreditam que foram pagos sem que tenham sido feitos.
Comentários