“Falar Direito”. “Promoção da saúde mental é fator de produtividade, competitividade e de diferenciação”

“A promoção na saúde mental é um fator de produtividade, competitividade e de diferenciação. Creio que não é apenas um benefício laboral, são cuidados que, a serem adotados, coloca as entidades que o fizerem numa posição competitiva face ao mercado de trabalho”, definiu Rita Rendeiro, presidente da Associação Direito Mental, no programa da plataforma multimédia JE TV.

A saúde mental é um tema prioritário na comunidade jurídica devido aos riscos da profissão? A associação Direito Mental propõe-se a fazer esse caminho e Rita Rendeiro, presidente desta associação recém-criada, explica a importância de existir uma associação exclusivamente dedicada à promoção da saúde emocional e cognitiva da comunidade jurídica.

“A promoção na saúde mental é um fator de produtividade, competitividade e de diferenciação. Creio que não é apenas um benefício laboral, são cuidados que, a serem adotados, coloca as entidades que o fizerem numa posição competitiva face ao mercado de trabalho”, definiu Rita Rendeiro, presidente da Associação Direito Mental, no programa da plataforma multimédia JE TV.

Relacionadas

Saúde mental na comunidade jurídica: que prioridades? Veja o “Falar Direito”

Rita Rendeiro, presidente da associação Direito Mental, explica a importância de existir uma associação exclusivamente dedicada à promoção da saúde emocional e cognitiva da comunidade jurídica. A entrevista é da jornalista do JE, Mariana Bandeira.
Recomendadas

A nova geração do Direito, das escolas aos escritórios de advogados. Veja a JE Talks

Iniciativa pretende analisar os diferentes tipos de especialização existente no Direito e perceber qual a sua importância para o mercado de trabalho. Esta JE Talks está inserida no caderno especial dedicado ao mesmo tema que acompanhará a edição impressa do JE desta sexta-feira, 24 de junho.

João Massano recandidata-se à liderança do CRL da Ordem dos Advogados

O programa da candidatura de João Massano, designada “Juntos Podemos Mais”, está assente em quatro pilares: dignificar a profissão, melhorar as condições de exercício da advocacia, aproximar a advocacia da sociedade civil e contribuir para uma justiça mais acessível.

“Falar Direito”. “Teletrabalho já devia ter sido disponibilizado há mais tempo na comunidade jurídica”

“O teletrabalho trouxe a toda a gente, e também aos advogados, uma flexibilidade que beneficiou muito os trabalhadores. Possibilidade do teletrabalho já devia ter sido disponibilizada há mais tempo na comunidade jurídica”, esclareceu a advogada Rita Rendeiro, presidente da associação Direito Mental.
Comentários