“Falcões” dos bancos centrais não travam bolsas

Semana passada foi marcada pela abertura da economia chinesa e pela postura hawkish (falcões) dos bancos centrais. Lagarde sugeriu que o BCE não vai abrandar o ritmo para 25 pontos base na reunião de março. Bolsas fecharam em alta a última sessão da semana

Esta sexta-feira os mercados de ações europeus fecharam em terreno positivo, incluindo o PSI, fechando com chave de ouro a semana.

Mário Martins, analista da ActivTrades, faz o resumo da semana nos mercados, dizendo que “ficou marcada pelo optimismo emanado com a abertura da economia chinesa e o abrandamento da inflação nos EUA, mas, por outro lado, pela cautela derivada da retórica hawkish por parte de membros da Fed, que preferem investir no seguro e não relaxar a política monetária demasiado cedo, como ocorreu nos anos 70”.

“Em termos práticos, os ursos estão a vencer esta guerra de forças, com uma correção de pelo menos três dias nos índices norte-
-americanos”, realça Mário Martins.

A semana começou com as estimativas dos economistas sondados pela Bloomberg que apontam que o BCE suba os juros no primeiro semestre até aos 3,25% antevendo um corte de 0,25% no terceiro trimestre.

Leia o artigo na íntegra no caderno NOVO Economia, publicado com a edição impressa do Semanário NOVO.

Recomendadas

PremiumBancos centrais elevam praças acionistas

As reuniões dos principais bancos centrais criaram otimismo nos mercados financeiros esta semana.

Wall Street fecha no ‘vermelho’ depois de conhecidos dados do emprego

Os Estados Unidos da América criaram 517 mil empregos em janeiro bem acima do projetado.

PremiumNovo embargo à Rússia com impacto no preço do gasóleo na bomba

Um quarto do gasóleo consumido na Europa continua a vir da Rússia, mas a partir de 5 de fevereiro entra em vigor novo embargo. Analistas apontam que preços na bomba estão em risco de sofrer aumentos.
Comentários