“Falsas e caluniosas”. Fibroglobal desmente CEO da Nos

Na sábado, 24, Miguel Almeida afirmou em entrevista ao “Expresso” que a Fibroglobal é uma “fraude”. A Fibroglobal emitiu esta terça-feira um desmentido formal.

A Fibroglobal emitiu esta terça-feira um desmentido formal onde considera “falsas e caluniosas” as afirmações de Miguel Almeida, presidente executivo da NOS, em entrevista ao “Expresso” no sábado, 24.

A empresa esclareceu que os graves incêndios de 2017 tiveram “um impacto significativo na rede da Fibroglobal” e que “todos os trabalhos de reposição da rede afetada estão finalizados, não existindo quaisquer situações de indisponibilidade de serviço”. A Fibroglobal, refutou assim a afirmação do CEO da NOS de que “há clientes sem serviço nas zonas afetadas pelos incêndios, porque esses clientes estão suportados na rede da Fibroglobal”.

“Os incêndios tiveram de facto um impacto significativo na rede da Fibroglobal, uma vez que foram afetados 32 dos 42 concelhos em que a Fibroglobal tem a sua rede implantada na zona Centro, com mais de 620 quilómetros de traçados de fibra ótica afetados e com um custo de reconstrução total estimado superior a 1,5 milhões de euros”, explicou a empresa em comunicado.

A empresa esclareceu também que a sua cobertura de fibra ótica chega, pelo menos, a “50% da população de cada concelho em que está presente”. Na entrevista que deu ao semanário “Expresso”, Miguel Almeida tinha afirmado que a rede da Fibroglobal abrangia 250 mil lares.

“A afirmação de que a Rede da Fibroglobal não está aberta a outros operadores é falsa. Aliás, quer a própria NOS, quer a ONI, para além da MEO são clientes da rede da Fibroglobal, desde 2016”, lê-se ainda no desmentido enviado à comunicação social.

O documento de esclarecimento à imprensa termina com a Fibroglobal a reclamar um estatuto de “protagonista de referência nas regiões onde atua, contribuindo para o desenvolvimento e bem-estar das populações abrangidas”. E garantiu ainda praticar uma “gestão criteriosa dos seus recursos” e “preços inferiores aos inicialmente previstos no contrato com o Estado e em linha com as ofertas publicadas pelo operador DST”.

Altice diz que acusação da NOS sobre alegada fraude é “grave e gratuita”

Relacionadas

Altice diz que acusação da NOS sobre alegada fraude é “grave e gratuita”

A Altice reagiu à entrevista dada pelo CEO da NOS ao ‘Expresso’. Fonte oficial da empresa disse ao JE que vê como “irresponsável e preocupante” as acusações feitas por Miguel Almeida ao Governo e à Anacom. “Indicia a necessidade de fazer prova de vida”.
Recomendadas

JCDecaux ganha um contrato de 10 anos com a ViaQuatro no Brasil

A JCDecaux ganha um contrato de 10 anos com a ViaQuatro para a exploração de espaços publicitários na linha 4 do metro de São Paulo, tornando-se no maior grupo de meios no metro do Brasil.

Timor Gap regista novas imparidades devido a investimento no consórcio do Greater Sunrise

O relatório anual da petrolífera, a que a Lusa teve acesso, regista um lucro operacional negativo de mais de 26 milhões de dólares (26,1 milhões de euros), explicando que “o aumento da perda líquida se deve principalmente às perdas por imparidade”.

Musk avança para a compra do Twitter e ações disparam 22%

O CEO da Tesla, Elon Musk, voltou atrás na negociação e concordou em comprar o Twitter pelo preço original acordado de 44 mil milhões de dólares. As negociações da tecnológica na bolsa norte-americana foram interrompidas aquando do anúncio e retomaram a valorizar 22%.
Comentários