Falta de acordo para o pós-Brexit pressiona praças europeias

Bolsas europeias pressionadas com a falta de acordo entre o Reino Unido e a União Europeia para o pós-Brexit.

Stefan Wermuth / Reuters

A falta de acordo para o pós-Brexit entre a União Europeia e o Reino Unido penalizou o desempenho dos principais índices bolsistas europeus, que encerraram esta sexta-feira em baixa. O PSI-20 acompanhou a tendência e desvalorizou 1,10%, para 4.742,67 pontos.

Segundo o analista de mercados do Millennium bcp, Ramiro Loureiro, a falta de acordo entre o bloco europeu e o Reino Unido “parece ter gerado desconforto nos investidores”. O analista referiu ainda que, do outro lado do Atlântico, a falta de acordo no Senado para um novo pacote de estímulos económicos nos Estados Unidos, avaliado em 908 mil milhões de dólares, também pesou no sentimento europeu.

Espelhando o desempenho das principais bolsas europeias, os índices pan-europeus Stoxx 600 e Stoxx 50 caíram, respetivamente, 0,77% e 1,04%.

O espanhol Ibex 35 liderou as perdas, caindo 1,46%, seguindo-se o DAX alemão, que perdeu 1,36%. O italiano FTSE Mib desvalorizou 0,97%, o britânico FTSE 100 caiu 0,80% e o francês CAC 40 cedeu 0,76%.

Por cá, a sessão foi marcada por 12 descidas, quatro subidas e uma inalterada (REN). As quedas foram lideradas pela NOS, que perdeu 2,94%, pela Galp, que desvalorizou 2,69%, pelo BCP, que caiu 2,84% e pelos CTT, que cedeu 1,98. A Mota-Engil também recuou 1,14%, enquanto a EDP e a EDP Renováveis perderam 0,10% e 0,22%, respetivamente.

Em contraciclo, a Pharol disparou 5,61%, a Ibersol ganhou 1,88%, a Corticeira Amorim subiu 0,38% e a Jerónimo Martins avançou 0,21%.

Nas matérias-primas, o preço do petróleo está em queda. Em Londres, o barril de Brent cai 0,58%, para 49,96 dólares. Já em Nova Iorque, o WTI cede 0,36% para 46,61 dólares.

Relacionadas

PSI 20 acompanha Europa em queda. Galp, BCP e NOS pressionam bolsa portuguesa

A bolsa nacional é pressionada por 11 empresas cotadas em queda.

“A situação é difícil”. Von der Leyen diz aos líderes europeus que pós-Brexit sem acordo é o cenário mais provável

“A probabilidade de não haver acordo é maior do que a de um acordo”, afirmou a presidente da Comissão Europeia na reunião de quinta-feira do Conselho Europeu. “Vamos ver se até domingo é possível um acordo”, acrescentou.

Brexit sem acordo é uma possibilidade cada vez maior, diz Boris Johnson

“Acho que precisamos de ser muito claros porque agora há uma forte possibilidade, uma grande possibilidade, de termos uma solução muito parecida com a relação australiana com a UE do que uma relação canadiense com a UE”, apontou Johnson, acrescentando que optar pela relação australiana não significa uma má escolha.
Recomendadas

Bolsa de Lisboa fecha em queda arrastada pela EDP Renováveis numa Europa mista

O tombo da bolsa deve-se em grande parte à queda das ações da EDP Renováveis. As ações caíram -2,19% para 21,39 euros no dia em que foi noticiado que ganhou o leilão para contruir um parque eólico “offshore” de grande escala ao largo da Califórnia.

Wall Street abre a valorizar com S&P 500 a contrariar cinco dias de perdas

O índice industrial Dow Jones arrancou a sessão a escalar 235 pontos (+0,7%), impulsionado pelos ganhos da Chevron e da Boeing. Já o empresarial S&P 500 acompanhou a subida em 0,7%. Por sua vez, o tecnológico Nasdaq valorizava quase 1% (0,9%).

Taxas Euribor sobem a três e seis meses e caem a 12 meses

A taxa Euribor a seis meses, a mais utilizada em Portugal nos créditos à habitação e que entrou em terreno positivo em 06 de junho, subiu hoje, para 2,456%, mais 0,014 pontos, batendo um novo máximo.
Comentários