Família de agente da PSP Fábio Guerra vai receber 176 mil euros de compensação

O agente morreu depois de ter sido alvo de agressões quanto tentou separar uma rixa na noite de Lisboa quando se encontrava de folga.

A família do agente da PSP Fábio Guerra vai receber uma indemnização de 176 mil euros por o agente ter sido “vítima de acidente qualificado como acidente ocorrido em serviço, em consequência do qual veio a falecer no dia 21 de março de 2022”.

O inquérito realizado concluiu pela “existência de nexo de causalidade entre o risco inerente à função policial ou de segurança e a morte do agente, pelo que se encontram reunidos os requisitos necessários à atribuição da compensação especial por morte”.

” É concedida a compensação especial por morte prevista no artigo 1.º do Decreto-Lei n.º 113/2005, de 13 de julho, por acidente sofrido pelo agente da PSP M/157755, Fábio Micael Serra Guerra, a atribuir aos seus progenitores, Carlos Travasso Guerra e Elsa Cristina Silva Serra Guerra, na qualidade de seus únicos herdeiros legais”, segundo despacho hoje publicado em Diário da República e assinado pelo ministro da Administração Interna, José Luís Carneiro.

Atualmente, existem dois fuzileiros em prisão preventiva suspeitos das agressões que causaram a morte de Fábio Guerra: Cláudio Coimbra, 21 anos, e Vadym Hrynko, 22 anos.

Um terceiro suspeito – Clóvis Abreu, 24 anos – encontra-se atualmente fugido à justiça e está a ser procura pelas autoridades portuguesas e também espanholas, país onde também terá família.

Recomendadas

Julgamento por fraude fiscal contra Trump Organization agendado para outubro

O julgamento por suposta fraude fiscal contra a Trump Organization e o seu ex-diretor financeiro Allen Weisselberg começará em 24 de outubro, decidiu esta sexta-feira um juiz de Nova Iorque, rejeitando arquivar o caso, segundo a imprensa local.

Mudança do Governo nos processos de insolvência é “desjudicializar”, diz associação

APDIR considera que o decreto-lei significa que o Executivo de António Costa “reconhece a falência do sistema judicial neste contexto, permitindo que funções jurisdicionais até aqui confiadas aos tribunais passem a ser responsabilidade de auxiliares de justiça, que estão sobrecarregados”.

Crise climática. Jovens portugueses já angariaram 120 mil euros para ação em Tribunal Europeu

A ação vai ser apreciada pelo principal painel de juízes do Tribunal Europeu dos Direitos Humanos. A recolha de fundos termina em 12 dias e ainda faltam quase 22 mil euros para atingir o objetivo de cobrir as despesas legais esperadas para enfrentar os 33 países visados.
Comentários