Famílias e empresas deverão sentir aumento dos juros no primeiro semestre de 2023

Previsão da Allianz Trade aponta também que os critérios para a atribuição de crédito às famílias e empresas já estão a ter um maior impacto no último trimestre deste ano.

As famílias e empresas portuguesas deverão começar a sentir o impacto do aumento das taxas de juros durante o primeiro semestre do próximo ano, de acordo com as previsões dos economistas da Allianz Trade divulgadas esta quarta-feira, 7 de dezembro.

De forma a conseguir travar o crescimento da inflação, a seguradora francesa dá conta no comunicado de que, “para as famílias incluindo as portuguesas, o choque das taxas de juro deverá estar a aproximar-se, podendo mesmo materializar-se no próximo ano”.

Os economistas do grupo francês apontam o primeiro trimestre do próximo ano como o período em que a taxa de juro de referência na zona euro irá atingir o valor máximo.

No caso de Portugal, o período médio de passagem da taxa de juro de referência para as taxas bancárias deverá acontecer no segundo trimestre de 2023, tal como as previsões para Espanha e Itália, enquanto na Alemanha e França, tal facto está previsto ocorrer no trimestre seguinte.

Ana Boata, head of economic research da Allianz Trade, refere que “num contexto de subida das taxas de juro e de agravamento das perspetivas económicas, a dinâmica favorável de crédito na zona euro não deverá durar muito mais tempo”, acrescentando que após um ano de estabilidade dos empréstimos bancários, “os bancos deverão começar a apertar o cinto no crédito às famílias e empresas”.

Recomendadas

PremiumLeia aqui o Jornal Económico desta semana

Esta sexta-feira está nas bancas de todo o país a edição semanal do Jornal Económico. Leia tudo na plataforma JE Leitor. Aproveite as nossas ofertas para assinar o JE e apoie o jornalismo independente.

Dois terços dos municípios aplicam derrama de IRC sendo 127 com taxa máxima

Dois terços dos municípios portugueses vão cobrar derrama de IRC às empresas instaladas nos seus concelhos, havendo 127 que aplicarão o valor máximo de 1,5%, segundo a tabela de taxas agora divulgada pelo fisco.

Governo aprova extinção do fundo de pensões da Caixa

A extinção do fundos de pensões da CGD já está aprovada. Os beneficiários não serão, contudo, prejudicados, já que as responsabilidades passam para a CGA.
Comentários