FDA aprova quarta dose da vacina da Pfizer e da Moderna para adultos com mais de 50 anos

Aprovação é conhecida depois da incerteza sobre a possibilidade do aparecimento de uma variante da Covid-19 ainda mais contagiosa que a Ómicron.

A autoridade reguladora dos Estados Unidos, (Food and Drug Administration, FDA sigla em inglês) autorizou esta terça-feira a quarta dose para a vacina contra a Covid-19 das farmacêuticas Pfizer e Moderna para pessoas com idade igual ou superior a 50 anos.

De acordo com a “CNBC”, a aprovação é conhecida depois da incerteza sobre a possibilidade do aparecimento de uma variante da Covid-19 ainda mais contagiosa do que a Ómicron.

A Pfizer disse num comunicado esta terça-feira que a FDA também aprovou uma segunda dose de reforço para pessoas com idade igual ou superior a 12 anos que tenham sistemas imunitários comprometidos. A Moderna disse no seu comunicado que também tinha recebido a autorização para a segunda dose de reforço para adultos com 18 anos ou mais velhos com sistemas imunitários comprometidos.

A FDA tomou a decisão sem uma reunião do seu comité de aconselhamento para as vacinas, uma rara decisão. A autorização do regulador é concedida apenas duas semanas depois de a Pfizer e a Moderna terem pedido à FDA que permitisse uma segunda dose de reforço com base nos dados de Israel. Espera-se que o Centro de Controlo e Prevenção de Doenças aprove rapidamente a decisão.

Recomendadas

Covid-19: Principal órgão de segurança da China quer “repressão” das “forças hostis”

O principal órgão de segurança da China apelou hoje à “repressão” das “forças hostis”, após os protestos dos últimos dias nas principais cidades chinesas contra as restrições sanitárias e limitações das liberdades individuais.

Covid-19: Universidades chinesas mandam estudantes para casa

Universidades chinesas estão a enviar estudantes para casa para tentar evitar mais manifestações de protesto contra as restrições anticovid, numa altura em que muitas cidades estão a pedir aos residentes que evitem viajar.

Narrativa triunfal de Pequim sobre ‘zero covid’ confrontada com protestos

Após ter passado dois anos a cultivar uma narrativa triunfal quanto à estratégia ‘zero covid’, apesar dos custos económicos e sociais inerentes, a liderança chinesa parece estar encurralada face aos novos protestos da população.
Comentários