Fecho da Av. da Liberdade ao trânsito? “ninguém vai à Louis Vuitton de metro” (com vídeo)

“Ninguém quer turismo de mochila. Não vamos querer turistas que queiram andar de metro”, disse Álvaro Covões.

Mais uma voz veio a público criticar o encerramento da Avenida da Liberdade ao trânsito aos domingos e feriados, uma medida aprovada pela câmara de Lisboa.

Álvaro Covões, presidente da promotora de concertos e festivais, considera que a medida não vai contribuir para a qualificação do turismo em Portugal.

“O país tem de ter uma estratégia. Queremos qualificar o turismo, ninguém quer turismo de mochila”, começou por dizer na “SIC Notícias” na quarta-feira. “Se queremos qualificar o turismo não vamos querer turistas que queiram andar de metro, porque ninguém vai à Louis Vuitton de metro”.

O encerramento da Avenida de Liberdade ao trânsito aos domingos e feriados e a redução da velocidade de circulação em Lisboa foram aprovadas pela autarquia há duas semanas, mas ainda não vão entrar em vigor.

Na quarta-feira, o executivo da autarquia aprovou uma proposta do PCP que visa a realização de estudos técnicos e financeiros sobre as duas medidas, seguido de um período de consulta pública de, pelo menos, 45 dias, e uma nova aprovação por parte da autarquia.

Na prática, a entrada em vigor destas medidas deverá ser adiada em vários meses e poderão sofrer alterações, destaca o “Diário de Notícias”.

Recomendadas

Acumular subsídio desemprego com atividade “a qualquer título” é proibido

A acumulação de subsídio de desemprego com atividade “a qualquer título” é proibida por lei, avançou, esta sexta-feira, fonte oficial do Ministério do Trabalho, na sequência da demissão apresentada pela presidente do Instituto do Emprego e Formação Profissional (IEFP).

Câmara de Lisboa deu apoio de 350 mil euros a empresa do filho de Sérgio Figueiredo

A autarquia então liderada por Fernando Medina terá atribuido um apoio de 350 mil euros a um evento organizado pelo filho de Sérgio Figueiredo, que na altura era director da TVI. O canal de televisão, onde Medina era comentador a convite de Sérgio Figueiredo, foi parceiro do evento e recebeu um valor “considerável”, avança o NOVO Semanário.

Morte de Gustavo Costa deixa “vazio” no jornalismo, diz governo angolano

O governo angolano lamentou esta sexta-feira a morte do jornalista Gustavo Costa, correspondente do Expresso e colaborador do semanário angolano Novo Jornal, considerando que esta perda “deixa um enorme vazio na prática jornalística nacional”.
Comentários