Fed assusta Wall Street

A Fed vai implementar um ritmo mais suave na subida dos juros em 2019. Ainda assim os mercados estão assustados e Wall Street fechou com perdas significativas.

Traders work on the floor of the New York Stock Exchange (NYSE) shortly before the closing bell in New York, U.S., January 6, 2017. REUTERS/Lucas Jackson

Os investidores reagiram mal à subida das taxas de juro pela Fed, em 25 pontos base para 2,50%, a quarta subida do ano.

O Dow Jones desvalorizou 1,49% para 23.323,66 pontos; o S&P 500 caiu 1,54% para 2.506,94 pontos e o Nasdaq tombou 2,17% para 6.637,828 pontos.

Depois da reunião de dois dias, a qual a Reserva Federal norte-americana decidiu aumentar as taxas de juro como esperado, os investidores reagiram aos sinais de revisão em baixa das projeções do crescimento económico norte-americano enunciados por Jerome Powell, o presidente da Fed.

A economia norte-americana vai crescer 2,3% em 2019, abaixo das expetativas iniciais. A Fed antecipa o arrefecimento da economia para 2020, que deverá crescer 2%, segundo os analistas da Reuters.

A inflação baixa 1 ponto base para 2%, enquanto a taxa de desemprego se mantem inalterada, na casa dos 3,5%, o melhor registo de dezembro em 49 anos.

Donald Trump teceu críticas à Fed antes da reunião, argumentando que não fazia sentido mexer nas taxas de juro. “Considerações políticas não têm qualquer peso nas nossas discussões sobre política monetária”, disse Jerome Powell em conferência de imprensa esta tarde.

Ao nível das empresas destaque para o trambolhão das ações do Facebook na bolsa (-7,25%). O procurador de Washington DC disse que a cidade vai instaurar um processo judicial contra o gigante das redes sociais devido ao seu desleixo no caso Cambridge Analytica. Paralelamente uma investigação do New York Times e do Observer, revelou que a empresa de Zuckerberg “dava” dados dos utilizadores da rede social a grandes empresas “para que ficassem dos seu lado”, noticia o The Guardian. Entre as empresas beneficiadas estão a Amazon, a Microsoft, a Spotify e a Sony.

Nas matérias-primas a volatilidade continua.  Depois de uma queda do crude na ordem dos 7%, o preço do petróleo está hoje a valorizar. O petróleo WTI sobe 2,08% para 47,20 dólares, e o Brent ganha 0,39%para 56,48 dólares.

(Atualizado)

Recomendadas

Luta da Fed contra a inflação atinge Wall Street no fecho da sessão

De resto, o organismo liderado por Jerome Powell deu conta na semana passada da possibilidade de as taxas de juro continuarem em alta até 2023 fez com que os três principais índices tivessem caído na última semana entre 4% e 5%.

Banco de Inglaterra anuncia cenário para “testes de stress” com libra em queda

O Banco de Inglaterra divulgou hoje o cenário para testar a resistência dos grandes bancos do Reino Unido, quando o mercado obrigacionista britânico e a libra estão abalados pelas medidas orçamentais anunciadas pelo novo Governo.

Bolsa de Lisboa entre as que mais caíram. EDP Renováveis lidera perdas

O BCE e a OCDE penalizaram os mercados. “O italiano Footsie MIB foi a exceção após a vitória maioritária de Giorgia Meloni do partido de extrema-direita para o cargo de primeira-ministra, nas eleições realizadas ontem”, realçou o analista do BCP.
Comentários