Fed: Governador Waller apoia nova subida “significativa” dos juros em setembro

Waller junta-se assim a outros membros da Reserva Federal que se têm mostrado favoráveis a nova subida expressiva para conter a subida de preços na maior economia do mundo, tal como o presidente Powell e a vice-presidente Brainard.

Christopher Waller, um dos governadores da Reserva Federal norte-americana e membro do Comité Federal de Mercado Aberto (FOMC), indicou esta sexta-feira que mais uma subida expressiva e “significativa” das taxas de juro pode estar em carteira para este mês, alinhando com outros representantes da autoridade monetária que expressaram semelhante ideia recentemente.

Falando em Viena esta sexta-feira, o governador voltou a sublinhar o impacto da inflação na economia, razão pela qual garante que irá “apoiar mais uma subida significativa” dos juros diretores. No entanto, Waller recusou projetar a evolução das taxas para lá da reunião de setembro, sublinhando que a Fed terá de se manter atenta aos dados que forem surgindo na frente macro.

O governador também não explicitou de que magnitude seria o aumento por si apoiado, mas a linguagem hawkish deixa antever uma inclinação para uma subida de 75 pontos base (p.b.), por oposição a meio ponto.

Waller junta-se assim à lista de governadores com uma posição mais agressiva quanto à inflação e a possibilidade de uma política monetária restritiva, depois de comentários de Jerome Powell, presidente da Fed, e de Lael Brainard, a vice-presidente e, normalmente, um dos membros mais bearish.

Caso se confirme a subida de 75 p.b., esta será o terceiro incremento desta magnitude e a taxa de juro de referência nos EUA chegará a 3%-3,25%. A reunião do FOMC realiza-se a 21 e 22 de setembro, sendo também então divulgadas as atualizações de outono das projeções macro da Fed.

Recomendadas

Cotação do barril Brent para entrega em novembro baixa para 87,96 dólares

A cotação do barril de petróleo Brent para entrega em novembro terminou esta sexta-feira no mercado de futuros de Londres em baixa de 0,73%, para os 87,96 dólares.

Wall Street encerra sessão com principais índices a perder mais de 1,50%

No momento de fecho o Dow Jones recua 1,71%para 28.725,84 pontos, o S&P 500 cede 1,51% para 3.585,40 pontos e o tecnológico Nasdaq desvaloriza 1,51% para 10.575,62 pontos. 

PremiumAções com pior mês desde junho e pode não ficar por aqui

Libra em forte desvalorização e juros da dívida do Reino Unido disparam após polémico “mini-orçamento” de Liz Truss.
Comentários