Fertagus está a “renegociar” a concessão e estuda aumento da oferta

A administradora da Fertagus disse hoje que a empresa está a “renegociar” o contrato de concessão ferroviária da travessia sobre o Tejo, que termina este ano, e estuda o aumento da oferta devido ao passe Navegante.

“Neste momento estamos a renegociar ou a trabalhar no âmbito do reequilíbrio da concessão, mas ainda não temos novidades nenhumas para dar”, disse à Lusa Cristina Dourado, acrescentando que mantém a esperança de que o contrato possa ser renovado.

A responsável da Fertagus falava na estação do Pragal, em Almada, no distrito de Setúbal, onde a empresa celebrou os 20 anos, feitos em 29 de julho, anunciando uma nova campanha publicitária e um novo horário para responder à procura.

“Digamos que passados 20 anos as coisas são um bocadinho novas outra vez”, disse Cristina Dourado, referindo-se a um dos maiores desafios da empresa na atualidade, saber o que lhe reserva o futuro.

“Os novos desafios para a Fertagus são, fundamentalmente, definir o que vai ser o futuro e quanto tempo podemos ficar cá, como vai evoluir a procura e como é que a procura se irá adaptar à oferta que temos”, explicou Cristina Dourado.

A administradora não adiantou qual o ponto de situação quanto às negociações com o Governo, mas tudo indica que o caminho é positivo, até porque a empresa continua “a trabalhar no sentido de encontrar soluções que possam aumentar a capacidade dos comboios”, o que pode passar, inclusivamente, “pela introdução de mais carruagens”.

“Já estamos a estudar essa matéria, estamos a estudar a aquisição de material circulante”, revelou.

A necessidade de mais oferta deve-se, sobretudo, ao novo passe Navegante, que fez com que em maio a procura tivesse crescido em “cerca de 20%”, indicou Cristina Dourado.

“Junho, julho e agosto foram meses de menor procura porque é verão, mas mesmo assim tivemos mais do que no ano passado. Agora estamos a ver como será o comportamento de setembro e outubro, por isso começámos com um novo horário para ver como as pessoas se adaptam e para irmos ajustando e vermos quais as necessidades que temos, nomeadamente de material circulante”, esclareceu.

Uma das soluções de curto prazo para dar mais capacidade à Fertagus foi a retirada de alguns bancos em carruagens, o que, segundo o presidente do grupo Barraqueiro, Humberto Pedrosa, foi uma solução “de pessoas que têm a cabeça fresca”, até porque comprar novos comboios “demora dois ou três anos”.

Esta celebração contou com o ministro Adjunto e da Economia, Pedro Siza Vieira, que esteve presente não só como membro do Governo, felicitando a empresa pela “experiência inovadora que foi e pelo sucesso que continua a ser”, mas também “do ponto de vista pessoal”.

Pedro Siza Vieira fez parte do grupo que fez a proposta para o concurso de concessão, recordando a “seriedade” com que foi tratado este projeto.

A Fertagus também apresentou hoje as novas fardas para os trabalhadores, desenvolvidas pelo estilista Nuno Gama, nascido em Azeitão, em Palmela, no distrito de Setúbal.

Segundo a empresa, que faz a ligação ferroviária entre Setúbal e Lisboa em 57 minutos, são transportados diariamente 83 mil passageiros, com um índice de pontualidade acima dos 94%. Só em 2018 foram transportados 21 milhões de utentes, acrescentou a Fertagus.

Relacionadas

Anda no comboio da ponte 25 de abril? Não se esqueça de validar o passe, multas dispararam 21%

O aumento nas multas deve-se à não validação do passe antes de iniciar a viagem, noticia o Diário de Notícias. Apesar dos passageiros terem o passe mensal válido, é obrigatório validar o título de transporte. A multa atinge os 30 euros.

20 anos de comboios na 25 de abril: Fertagus retirou 62 milhões de carros da ponte

Pedro Nuno Santos, ministro das Infraestruturas, já disse que o Estado está satisfeito com o serviço da Fertagus, dando a entender que a concessão será prolongada. Esta terça-feira marca o vigésimo aniversário da travessia de comboios na ponte 25 de Abril.

Fertagus já reduziu número de bancos nos seus comboios

A Fertagus diz que com a entrada em vigor do passe metropolitano, que permite a circulação entre Setúbal e Lisboa por 40 euros, se verificou um aumento de 20% de passageiros. Em comparação com abril de 2018, verificou-se um aumento de 500 mil validações de títulos.
Recomendadas

TAP: PS esclarece que viabilizará proposta de inquérito do BE com abstenção

O Grupo Parlamentar do PS esclareceu que viabilizará a proposta de inquérito parlamentar do Bloco sobre a TAP através da abstenção, corrigindo a posição assumida pelo deputado Carlos Pereira.

EDP já instalou mais de 700 mil painéis solares nas casas de famílias na Ibéria

A EDP explica que “estas famílias conseguem uma poupança média de até 30% ou mesmo 70% quando agregado a uma bateria de armazenamento. A produção de energia gerada nestas instalações seria suficiente para abastecer com energia renovável 500 mil pessoas por mês, o equivalente a fornecer apenas com energia solar toda a população de Lisboa”.
litio

Lítio: Comissão de Avaliação dá parecer favorável à mina em Montalegre

A Lusorecursos Portugal Lithium confirmou um parecer favorável por parte da Comissão de Avaliação da Mina do Romano, que dá luz verde à exploração mista de lítio (céu aberto e subterrânea) em Montalegre.
Comentários