Festejos do FC Porto. Homicida confessa e fica em prisão preventiva

O jovem confessou o crime em tribunal, revela hoje o “CM.

Renato Gonçalves, 19 anos, confessou o homicídio de Igor Silva, 26 anos, durante a festa do FC Porto na madrugada de domingo, revela hoje o “CM”.

O jovem entregou-se na noite de segunda-feira na Polícia Judiciária do Porto e foi presente no Tribunal de Instrução Criminal na tarde de terça-feira. O juiz condenou decretou prisão preventiva. Na sua versão, Renato disse que agiu em legítima defesa e que deu uma facada à vítima, que ficou inanimada.

Já o seu pai Marco ‘Orelhas’ Gonçalves – número dois dos Super Dragões – ficou livro de acusação e deverá ser constituído arguido apenas por ofensas corporais agravadas. A investigação aponta que a agressão de Marco Gonçalves a Igor Silva teve lugar meia hora antes do homicídio, a 40 metros do local onde a vítima foi esfaqueada.

A Polícia Judiciária anunciou na terça-feira a detenção de Renato Gonçalves, 19 anos pela prática do crime de homicídio qualificado nos festejos do título do FC Porto na madrugada do passado domingo na Alameda das Antas, junto ao Estádio do Dragão.

“Os factos ocorreram na madrugada do dia 08.05.2022, na cidade do Porto, em retaliação por uma sucessão de agressões que, desde janeiro deste ano, vinham ocorrendo entre o arguido, familiares deste e a vítima. Na ocasião, um grupo de indivíduos, de entre os quais o arguido, perseguiu a vítima, alcançando e agredindo a mesma com murros e pontapés”, segundo a PJ.

“Dada a intervenção de alguns populares, que foram igualmente agredidos, a vítima logrou afastar-se do local, vindo a ser surpreendida pelo arguido, o qual, munido de uma arma branca de dimensões significativas, a atingiu repetidamente e com extrema violência, provocando-lhe a morte. Em ato contínuo, todo o grupo agressor dispersou, tendo-se o arguido colocado em fuga”, acrescenta.

“Pese embora o contexto de enorme confusão em que os factos ocorreram e a existência de diversa informação errada transmitida, foi possível, em resultado de um trabalho ininterrupto e exaustivo de recolha de prova, reunir em menos de 48 horas elementos indiciários e, simultaneamente, localizar e deter o presumível autor das agressões mortais”, destaca.

Renato Gonçalves, “sem antecedentes criminais, vai ser presente a primeiro interrogatório judicial para aplicação das medidas de coação tidas por adequadas”.

Os dois jovens tinham um historial de desavenças. Renato provocou estragos num bar do Porto onde o irmão de Igor é segurança. Depois, Igor agrediu Renato e a irmã na Queima das Fitas; a mãe de Renato ameaçou depois a mãe de Igor; em pleno Estádio da Luz, durante o Benfica-FC Porto, Igor agrediu Marco ‘Orelhas’, em frente a todos os membros dos Super Dragões, conta o “CM”.

Como é que teve lugar o homicídio? “Eram mais de  20 pessoas a correr entre a multidão e a gritar ‘abram alas, abram alas’. Vieram diretos ao Igor, com facas e outras armas brancas e deram-lhe até o matar. Já o rapaz estava no chão, todo desfigurado, o filho do Marco ‘Orelhas’ pôs-se em cima dele e deu-lhe várias facadas no peito, depois fugiram todos”, contou uma testemunha anónima ao “CM”. Igor, natural do bairro do Ramalde, ainda saiu vivo da Alameda das Antas, mas morreu a caminho do Hospital São João.

Quem é Marco ‘Orelhas’? O número dois dos Super Dragões tornou-se conhecido em 2017 quando partiu o nariz ao árbitro do jogo Rio Tinto-Canelas 2010 com uma joelhada, tendo sido condenado a 11 meses de pensa suspensa e a pagar uma indemnização de 16 mil euros ao árbitro, e ficou também impedido de frequentar estádios ou recintos desportivos durante 11 meses.

Relacionadas

PJ detém principal suspeito do homicídio nos festejos do título do FC Porto (com áudio)

“Já o rapaz estava no chão, todo desfigurado, o filho do Marco ‘Orelhas’ pôs-se em cima dele e deu-lhe várias facadas no peito”, disse ao “CM” uma testemunha. Número dois dos Super Dragões, e pai do jovem detido, encontra-se em fuga.
Recomendadas

Prisão preventiva para fiscais da Câmara de Lisboa suspeitos de corrupção

Os dois fiscais de obras da Câmara Municipal de Lisboa hoje detidos pela Polícia Judiciária (PJ) por suspeitas de corrupção passiva vão aguardar o processo em prisão preventiva, após interrogatório judicial, disse à Lusa fonte ligada à investigação.

PJ constituiu 37 arguidos por desvios de fundos europeus superiores a três milhões

Estão em causa projetos suscetíveis de cofinanciamento pelo Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional (FEDER), através dos apoios diretos à Internacionalização das PME, no âmbito do Portugal 2020, que envolvem incentivos superiores a três milhões de euros.

Joe Berardo processa CCB e ministério da Cultura

O processo visa denunciar o acordo que une Joe Berardo ao Estado, que termina no final de 2022, revela hoje o “Expresso”.
Comentários