Fidelidade assina acordo para comprar mais 40,5% na seguradora no Peru (com áudio)

A Fidelidade atualmente já detém uma participação maioritária de 51%. Pelo que irá lançar uma Oferta Pública de Aquisição “de forma a avançar para a conclusão da transação”.

Fidelidade (Seguros)

A Fidelidade chegou a acordo para um reforço da posição acionista na seguradora peruana “La Positiva” com a compra de mais 40,5%.

A Fidelidade atualmente já detém uma participação maioritária de 51%. Pelo que irá lançar uma Oferta Pública de Aquisição “de forma a avançar para a conclusão da transação”.

Este reforço já estava contemplado no acordo inicial de 2018, e “permite reforçar a posição de controlo da Fidelidade nesta seguradora Latino-Americana, considerada um ativo estratégico na expansão internacional do Grupo”.

A La Positiva é o terceiro maior grupo do setor segurador no Perú, com uma quota de mercado de 13% em Dezembro de 2021; prémios consolidados que ultrapassam os 700 milhões de euros; investimentos de mais de 1,2 mil milhões de euros e mais de 4,3 milhões de segurados.

Rogério Campos Henriques, presidente da Comissão Executiva da Fidelidade, considera que “este acordo é mais um passo na bem sucedida estratégia de crescimento internacional da Fidelidade, estando já presentes em doze países, espalhados por quatro continentes. Em 2021, pela primeira vez na nossa história ultrapassámos a barreira dos 1.000 milhões de euros de prémios gerados fora de Portugal, representando 30% dos nossos prémios totais não-vida. Este é um sinal claro do nosso compromisso com o futuro do Perú e com a América Latina”.

A conclusão desta operação está sujeita às autorizações dos reguladores.

Recomendadas

PremiumAuditoria ao Novobanco há meses à espera do Parlamento

A terceira auditoria da Deloitte ao Novobanco foi entregue aos deputados em abril, mantendo-se como confidencial de forma provisória. Desde então, o tema não voltou a ser discutido.

BdP rejeita subida significativa do incumprimento no crédito à habitação

Questionado sobre se espera um aumento do incumprimento das famílias no crédito habitação, devido ao aumento das taxas de juro, uma vez que a maioria daquele tipo de crédito em Portugal é contratualizado com taxas variáveis, Mário Centeno disse que “a resposta breve é não”.

Bloomberg: Novobanco escolhe shortlist de potenciais compradores para a sede

O Novobanco já pré-selecionou a shortlist de candidatos à compra da sua sede em Lisboa, avança a Bloomberg que cita fontes familiarizadas com o assunto. A Vanguard passou à fase das propostas vinculativas.
Comentários