Fileira Casa Portuguesa brilha em Paris na Maison & Objet

A Fileira Casa Portuguesa inicia 2023 com uma nova presença de relevo numa das maiores feiras mundiais de mobiliário e design de interiores. No total, 44 empresas oriundas de Portugal demonstram as suas propostas de valor e designs únicos junto dos principais agentes dos diferentes sectores na Maison & Objet, que se realiza de 19 a 23 de janeiro em Paris.

A Fileira Casa Portuguesa inicia 2023 com uma nova presença de relevo numa das maiores feiras mundiais de mobiliário e design de interiores. No total, 44 empresas oriundas de Portugal demonstram as suas propostas de valor e designs únicos junto dos principais agentes dos diferentes setores na Maison & Objet, que se realiza de 19 a 23 de janeiro em Paris.

Tendo em conta as atuais transformações sociais, económicas e políticas, o certame da capital francesa apresenta o tema inspiracional “Take Care!”, que espelha nos produtos em mostra a crescente necessidade do conforto, do respeito pelo património e da consciência ambiental que os utilizadores procuram.

A presente edição volta a conectar os prescritores e compradores franceses a um forte contingente nacional, que pretende expressar a modernidade e rejuvenescimento do elevado padrão de qualidade da sua oferta.

Perante a significativa presença nacional na feira, Joaquim Carneiro, Presidente da APIMA (Associação Portuguesa das Indústrias de Mobiliário e Afins), que lidera a participação lusa, afirma, em comunicado,  que “face ao prolongamento de um cenário conturbado, no qual o conflito na Ucrânia e o incremento do custo das matérias-primas se reafirmam como os principais desafios, é de louvar a resiliência demonstrada pelas dezenas de empresas portuguesas que marcam presença nesta nova edição da Maison & Objet, continuando a procurar novas oportunidades e clientes numa conjuntura sem paralelo”.

E acrescenta: “A significância deste certame é comprovada, de forma clara, pelos dados que o mercado francês apresenta para o nosso país: um volume de exportações que ultrapassou os 500 milhões de euros em 2022 e uma quota de mercado que continua a representar cerca de um terço do total das vendas nacionais ao exterior. Manter a trajetória crescente das exportações, para este e para os demais mercados, de forma sustentada e suportada, cada vez mais, em valor acrescentado, é o grande desafio da década para Portugal”, reforça o Presidente da APIMA.

A Fileira Casa Portuguesa prepara-se, assim, para o primeiro ano no pós-pandemia de total normalidade nos certames internacionais, procurando continuar a crescer nos mercados tradicionais e estimular as vendas em algumas geografias de elevado potencial. Promoção que não será realizada exclusivamente “fora de portas”, com a 3.ª edição do Portugal Home Week, na Alfândega do Porto, agendada para os dias 15 e 16 de junho.

Recomendadas

Fundação Calouste Gulbenkian apoia projetos de criação artística

Estão abertas, até 31 de março, as candidaturas a apoios da Gulbenkian para projetos de criação artística. Artes Performativas, Artes Visuais e Cinema são as áreas contempladas.

“Um caroço de abacate” eleito melhor filme queer em Clermont-Ferrand

A curta-metragem portuguesa “Um caroço de abacate”, realizada por Ary Zara, venceu hoje o prémio de melhor filme queer do Festival Internacional de Curta-Metragem de Clermont-Ferrand (França), anunciou hoje a organização.

“Re Search TEX REX”: a reutilização têxtil como ponto de partida da exposição de Ana Baleia

A Galeria PLATO, em Évora, apresenta o trabalho desenvolvido pela designer e artista têxtil Ana Baleia no âmbito do ‘upcycling’ têxtil. A arte ao serviço da mitigação dos resíduos têxteis. Um caminho em prol do futuro.
Comentários