Filha de ex-presidente de Moçambique assassinada a tiro

Valentina Guebuza, filha de Armando Guebuza, foi assassinada pelo marido, esta quarta-feira à noite, na cidade de Maputo.

A filha do antigo Presidente da República de Moçambique, Armando Guebuza, e de Maria da Luz Guebuza, faleceu na noite passada, na sequência de vários tiros de que foi alvo na região do tórax. Aos 36 anos, Valentina era uma das empresárias mais importantes do continente africano. Além de estar ligada à área empresarial, Valentina era membro do Comité Central do Partido no poder, a Frelimo.

A polícia moçambicana informou que Zofimo Muiuane, marido da vítima, terá sido o autor do crime, cometido na noite passada. O suspeito encontra-se detido numa das esquadras do país.

Valentina Guebuza, que fazia parte da lista das “20 Mulheres Mais Poderosas de África” da revista ‘Forbes’, perdeu a viva a caminho da unidade hospitalar Instituto do Coração, de acordo com o jornal moçambicano “O País”. Segundo o mesmo jornal, a polícia confirmou a morte de Valentina Guebuza ainda esta madrugada, mas voltou a pronunciar-se sobre o falecimento da empresária e filha do antigo Chefe de Estado na manhã desta quinta-feira.

Em conferência de imprensa, o porta-voz do Comando-Geral da Polícia assegurou que o principal suspeito é o marido da vítima, que utilizou uma pistola comprada ilegalmente na África do Sul, conforme noticiou o site moçambicano “Notícias Online“. Sem entrar em detalhes, as autoridades de Maputo dizem que o motivo do crime terão sido divergências conjugais.

Inácio Dina garantiu que as diligências estão a ser feitas pelos peritos da Polícia de Investigação Criminal.

Recomendadas

JE Podcast: Ouça aqui as notícias mais importantes desta quinta-feira

Da economia à política, das empresas aos mercados, ouça aqui as principais notícias que marcam o dia informativo desta quinta-feira.

Trabalhadores do Metropolitano de Lisboa fazem greve de 24 horas em 12 de outubro

“Vamos fazer uma greve no dia 12, de 24 horas”, indicou Anabela Carvalheira, da Federação dos Sindicatos de Transportes e Comunicações (Fectrans).

Conselho de Ministros gastou um milhão em equipamento informático

Um mês depois de o NOVO ter noticiado que o Conselho de Ministros gastou um milhão em equipamento informático, a Polícia Judiciária entrou na sede da Presidência do Conselho de Ministros para fazer buscas. O alvo principal da operação é o próprio secretário-geral, David Xavier, suspeito de corrupção na aquisição de sistemas informáticos para o Estado.
Comentários