Filme “Alma Viva”, de Cristèle Alves Meira, considerado elegível para os Óscares

O filme “Alma Viva”, da realizadora luso-francesa Cristèle Alves Meira, foi considerado elegível para uma nomeação aos Óscares de 2023, revelou a Academia de Cinema dos Estados Unidos.

A academia, que organiza os Óscares, os prémios norte-americanos de cinema, revelou na terça-feira a lista de 92 filmes considerados elegíveis para as nomeações na categoria de Melhor Filme Internacional.

A lista, divulgada pela imprensa especializada, confirma que o filme “Alma Viva”, de Cristèle Alves Meira, proposto por Portugal para as nomeações, cumpre os requisitos no processo de elegibilidade para a edição de 2023 dos Óscares.

Atualmente em exibição nos cinemas portugueses, “Alma Viva” centra-se em Salomé, uma menina, filha de emigrantes portugueses em França, que passa o verão numa aldeia com a avó, com quem tem uma forte ligação afetiva e espiritual.

Salomé irá testemunhar a morte da avó e suspeita que esta foi envenenada por bruxaria por outra mulher da aldeia. Enquanto a família organiza o funeral, Salomé acredita que está acompanhada pelo espírito da avó e tenta vingar a sua morte.

O filme, que conta com as interpretações de Lua Michel, Ana Padrão, Ester Catalão, entre outros, é também um retrato da emigração portuguesa, das famílias que se separam, e das complexas diferenças sociais e económicas que daí nascem.

Também foi considerado elegível para os Óscares o filme proposto pela Albânia, “A cup of coffee and new shoes on”, do realizador albanês Gentian Koçi, protagonizado pelos atores portugueses Edgar Morais e Rafael Morais.

A longa-metragem conta com coprodução portuguesa de Maria & Mayer, apoio financeiro do Instituto do Cinema e do Audiovisual, e deverá chegar aos cinemas portugueses em 2023.

“A cup of coffee and new shoes on” é protagonizado pelos irmãos Rafael e Edgar Morais, no papel dos “gémeos inseparáveis” Agimi e Gezimi, surdos, que terão de ultrapassar um grave problema de saúde de um deles.

Da restante lista divulgada pela academia, foram considerados elegíveis, entre outros, “Marte Um” (Brasil), de Gabriel Martins, “Saint Omer” (França), de Alice Diop, premiado em Veneza, “Nostalgia” (Itália), de Mário Martone, “Alcarràs” (Espanha), de Carla Simón, Urso de Ouro em Berlim, e “Decisão de Partir” (Coreia do Sul), de Park Chan-wook, distinguido em Cannes.

A eles juntam-se ainda “Tembele”, de Morris Mugisha, primeira submissão do Uganda aos Óscares, e “Joyland”, de Saim Sadiq, que esteve em risco de ser banido pelo Paquistão.

A 95.ª edição dos Óscares está marcada para 12 de março, em Los Angeles, Estados Unidos.

As nomeações serão anunciadas a 24 de janeiro.

Recomendadas

2023 promete ser um ano em cheio para Serralves

Serralves abraçou o mote “Onde o futuro se cruza com a memória”, num ano em que celebra o centenário do seu emblemático Parque e a abertura da nova ala do Museu. Mas há muitas mais razões para espreitar a programação.

Grandes nomes da fotografia norte-americana do séc. XX na Casa dos Cubos

A coleção “Farm Security Administration” é um dos mais extraordinários arquivos fotográficos da História e está agora em exposição no Centro de Estudos de Fotografia – Casa dos Cubos, em Tomar, até dia 19 de março.

Balena cria materiais biodegradáveis para a moda

A Balena criou um termoplástico biodegradável e compostável que pode ser integrado nos processos de fabrico de vestuário existentes.
Comentários