Filme madeirense galardoado em festival de cinema na Austrália (com áudio)

Na entrega do prémio, o realizador destacou “a importância de contar histórias que retratem a realidade dos jovens e ajudam a compreendê-los melhor”.

O filme madeirense Posso Olhar Por Ti, de Francisco Lobo Faria, foi premiado com o ‘Best Youth Cast’ [melhor elenco de jovens] no festival australiano Titan International Film Festival, de acordo com a produtora.

A cerimónia de entrega de prémios da primeira edição do festival, referente ao ano 2022, realiza-se este sábado, no Palace Chauvel Cinema, em Sydney, e conta com a presença do realizador Francisco Lobo Faria, lê-se num comunicado enviado à Lusa pela produtora de cinema Filmógrafo.

Posso Olhar Por Ti “retrata um grupo de crianças organizado em prol de um objetivo comum e, para o alcançar, desenvolvem a sua veia empreendedora, exploram os seus talentos e capacidades, falham, desentendem-se, mas não desistem”, referiu o comunicado.

Produzida na Madeira, a obra conta com a participação dos jovens atores Martim Lobo, Laura Silva, Francisca Madeira, Tiago Valente, Iago Fernandes, Matilde Gouveia e Eduarda Sousa.

Ainda de acordo com a nota do Filmógrafo, o realizador Francisco Lobo Faria expressou “emoção em poder receber o prémio e agradeceu à equipa do filme pelo seu trabalho dedicado”.

O realizador destacou, além disso “a importância de contar histórias que retratem a realidade dos jovens e ajudam a compreendê-los melhor”.

Com imagem de Carlos Melim, som de Daniel Guiomar, produção executiva de Vanessa Fernandes e montagem de Herman Delegado, “o filme reúne uma extensa lista de técnicos, atores e figurantes originários da Madeira”, realçou o comunicado.

Francisco Lobo Faria é licenciado em Teatro pela Escola Superior de Teatro e Cinema do Instituto Politécnico de Lisboa. Como ator participou em filmes como “A Eternidade e um Dia”, “Feiticeiro da Calheta” e a série de televisão “Abandonados”. “Posso Olhar Por Ti” é o primeiro trabalho do ator enquanto argumentista e realizador.

O filme teve o apoio do Governo Regional da Madeira, através da Secretaria Regional de Turismo e Cultura, contando também com a participação da Câmara Municipal de Porto Moniz e de diversas entidades públicas e privadas da Madeira.

Numa reação, o secretário regional de Turismo e Cultura, Eduardo Jesus, salientou que o prémio está “a mostrar o quão é importante” a aposta do Governo Regional “na área do cinema, audiovisual e multimédia”.

Trata-se de “uma oportunidade acrescida de divulgar o trabalho dos madeirenses com outras competências profissionais e, por parte de gerações mais novas, neste caso, num país onde existe uma forte diáspora regional”, disse.

Recomendadas

Grandes nomes da fotografia norte-americana do séc. XX na Casa dos Cubos

A coleção “Farm Security Administration” é um dos mais extraordinários arquivos fotográficos da História e está agora em exposição no Centro de Estudos de Fotografia – Casa dos Cubos, em Tomar, até dia 19 de março.

Balena cria materiais biodegradáveis para a moda

A Balena criou um termoplástico biodegradável e compostável que pode ser integrado nos processos de fabrico de vestuário existentes.

Celebrar 20 anos de KINO, a mostra de cinema de expressão alemã

De 2 a 8 de fevereiro, o Goethe-Institut Portugal traz a Lisboa o melhor cinema da Alemanha, Áustria, Suíça e Luxemburgo. Mas não só. Fazendo jus ao mote deste ano, “Novos Começos”, o cinema de expressão alemã vai estender-se a outras três cidades: Lagos, Coimbra e Porto.
Comentários