Finlândia retira último busto de Lenine ainda em exibição no país

As autoridades de uma cidade do sudeste da Finlândia retiraram hoje o último busto do líder revolucionário russo Vladimir Lenine ainda em exibição pública no país, na sequência da guerra na Ucrânia.

7 – Finlandia

m grupo de trabalhadores da construção civil em Kotka, uma cidade portuária de 52.000 habitantes não muito longe da fronteira com a Rússia, içou a estátua para dentro de um camião e levou-a para um armazém de um museu local, segundo a agência norte-americana AP.

A diretora do museu da cidade, Kirsi Niku, disse à emissora pública finlandesa YLE que o busto de bronze foi concebido e construído pelo escultor estoniano Matti Varik no final da década de 1970, por encomenda de Moscovo.

Foi doado à cidade finlandesa em 1979, como uma prova de amizade de Tallinn, então capital da república soviética estónia e agora capital da nação báltica da Estónia.

A oferta de tais estátuas a cidades finlandesas foi uma prática de Moscovo, particularmente nas décadas de 1970 e 1980, para sublinhar a amizade entre a Finlândia e a União Soviética a seguir à II Guerra Mundial.

O busto de Lenine estava localizado num parque central de Kotka, adjacente a uma casa de madeira onde o fundador do partido bolchevique terá ficado.

Foi vandalizado ao longo dos anos, mas permaneceu no parque até que a câmara de Kotka decidiu retirá-lo, numa votação realizada em junho.

No final de abril, as autoridades de Turku, no sudoeste da Finlândia, ordenaram a remoção de outro busto de Lenine do centro histórico da cidade, também devido a protestos da população local por causa da invasão russa da Ucrânia.

Outros países europeus com um passado soviético adotaram medidas idênticas relativamente a monumentos da era da União Soviética desde que a Rússia invadiu a Ucrânia, em 24 de fevereiro deste ano.

A Finlândia e a Rússia partilham uma fronteira terrestre de 1.340 quilómetros.

O país nórdico fez parte do Império Russo como grão-ducado autónomo durante mais de 100 anos, até 06 de dezembro de 1917, quando declarou a independência na sequência da Revolução Russa liderada por Lenine.

A liderança bolchevique reconheceu a independência da Finlândia em 31 de dezembro de 1917.

Antes da Revolução Russa, Lenine esteve exilado na Finlândia em várias ocasiões, vivendo em várias cidades e vilas da parte sul do país.

A cidade industrial e universitária de Tempere, no sul da Finlândia, acolhe um museu dedicado a Lenine (1870-1924).

O ditador soviético Josef Estaline e Lenine reuniram-se pela primeira vez em Tampere, em 1905, durante um encontro de líderes bolcheviques na cidade.

Recomendadas

Ucrânia: OSCE necessária apesar de “prejudicada” pelo conflito, diz Josep Borrell

A OSCE “foi severamente prejudicada pela agressão russa contra a Ucrânia, que viola os princípios da organização”, disse Borrell, durante uma deslocação à cidade polaca de Brzeg (sul), onde visitou um centro de treino para soldados ucranianos.

Ucrânia: Comissão Europeia quer criminalizar subversão das sanções à Rússia na UE

“A Comissão Europeia apresenta hoje uma proposta para harmonizar as infrações penais e as penas pela violação das medidas restritivas da UE [pois], embora a agressão russa à Ucrânia ainda decorra, é primordial que as medidas restritivas da UE sejam plenamente aplicadas e que a violação dessas medidas não seja compensadora”, salienta a instituição em comunicado de imprensa.

Guerra mostra que UE “não é suficientemente forte”, diz primeira-ministra da Finlândia (com áudio)

A primeira-ministra da Finlândia afirmou hoje que a Europa “não é suficientemente forte” para fazer frente a Moscovo sozinha, numa avaliação “muito honesta” das capacidades europeias na sequência da invasão russa da Ucrânia.
Comentários