Fintech Plum lança aplicação de finanças pessoais em Portugal

Chegou a Portugal a fintech financeira que através da sua app ajuda os clientes a poupar. A fintech com 1,5 milhões de utilizadores por toda a Europa já ajudou a por de parte mais de 1,70 mil milhões de euros.

A fintech com 1,5 milhões de utilizadores lança-se em Portugal, naquele que é o seu novo mercado na Europa, depois do seu sucesso no Reino Unido, França, Espanha Irlanda e Bélgica.

“Os portugueses podem agora conectar as suas contas à aplicação com os 25 maiores bancos como a Caixa Geral de Depósitos, Millennium BCP, Santander Totta, Novobanco e Banco BPI”, diz a fintech em comunicado.

Com a conta ligada aos seus bancos, os clientes podem usufruir “das ferramentas únicas automatizadas da Plum”  para “tomar decisões financeiras responsáveis”. Isto, diz a Plum, “inclui ajudar pessoas a por dinheiro de parte automaticamente, de acordo com os seus objetivos”.

A aplicação permite aos seus clientes diversificar e crescer o seu dinheiro a longo prazo com o seu serviço de investimento na bolsa. Os clientes podem investir em 3.000 ações sem comissões e podem começar com apenas um euro através de ações em empresas de excelência tais como Google, Meta ou Amazon.

A Plum entra no mercado português quando a gestão de dinheiro nunca foi tão importante como agora, reforça a fintech financeira. Isto porque, explica, “a inflação mantém-se a altos níveis, tendo atingindo 9,9% em novembro, o que significa que as pessoas enfrentam duros desafios de custo de vida e a app faz com seja fácil poupar, orçamentar e investir, tendo já ajudado 1,5 milhões de pessoas por toda a Europa a por de parte mais de 1,70 mil milhões de euros.

Victor Trokoudes, co-fundador e CEO da Plum, diz que “temos todo o prazer em trazer a Plum para Portugal e ajudar os portugueses a gerirem as suas finanças”.

“Enfrentamos um período económico difícil, que traz consigo níveis de inflação que não se viam há décadas, o que traz dificuldades ao nível do custo de vida. A necessidade de uma resistência financeira a longo prazo nunca foi tão clara e nós criámos a Plum precisamente para ajudar as pessoas a enfrentarem estas situações, ajudando a garantir que a gestão de dinheiro é automatizada e cuidada para o futuro”, acrescenta.

“O lançamento em Portugal é um dos maiores marcos da nossa expansão, que demonstra que somos verdadeiramente uma empresa europeia”, diz Victor Trokoudes que garante estar empenhado em fornecer aos portugueses “uma ferramenta para os ajudar a alimentar o seu bem-estar financeiro para o presente e futuro, dando motivação ao seu dinheiro”.

“A capacidade da nossa app significa que conseguimos oferecer uma alternativa inteligente a ferramentas tradicionais e ajudar o dinheiro das pessoas a ir mais longe de várias formas. Estamos empolgados em ajudar as pessoas a poupar dinheiro, investir na bolsa e gerirem os seus gastos, tudo através de uma só aplicação, a um baixo custo”, revela Victor Trokoudes.

“Este lançamento marca a nossa próxima etapa na expansão europeia da Plum, tendo já sido lançada com sucesso no Reino Unido, França, Espanha, Irlanda e Bélgica. Junto com Portugal, a Plum está também a ser lançada simultaneamente em outros quatro países europeus, como Itália, Países Baixos, Grécia e Chipre”, acrescenta o CEO.

Quer isto dizer que a Plum está agora presente em dez países europeus.

A Plum está também a oferecer um cartão de débito Visa 100% biodegradável e reciclável, sem qualquer custo para os seus clientes com assinatura, permitindo a estes pagarem online via Google Pay, diretamente na loja, ou levantar dinheiro sem taxas em qualquer lugar na Europa, revela a fintech.

Recomendadas

EBA lança teste de stress de 2023 para a banca e usa o mais severo de sempre dos cenários adversos

O teste de stress a nível da UE será conduzido numa amostra muito maior em comparação com anos anteriores, abrangendo 70 bancos da UE e 75% do total dos activos bancários na UE. Em termos de queda do PIB, o cenário adverso de 2023 é o mais severo utilizado até à data em toda a UE nos testes da banca.

Arranca Prémio Investigação ASF com foco no Direito e Humanidades

Incentivar a produção de trabalhos de investigação científica de elevado valor para o desenvolvimento dos mercados nacionais dos seguros e dos fundos de pensões é o objetivo do prémio, cujo vencedor será conhecido em julho.

Bancos amortizam antecipadamente pagamento dos LTRO ao BCE no valor de 25 mil milhões

O Banco de Portugal detalha que “após dois anos de aumentos sucessivos do financiamento concedido pelo Eurosistema, em 2022, as subidas das taxas de juro pelo BCE levaram vários bancos a amortizar antecipadamente os montantes obtidos através das operações de refinanciamento”.
Comentários