Fisco lança operação de fiscalização a casamentos em todo o país

Negócios ligados aos casamentos vão ser alvo de ações de controlo nos próximos três meses. Ações no terreno começam já no próximo fim de semana. Na mira do fisco encontram-se também os festivais de música.

A Autoridade Tributária (AT) vai lançar uma mega-operação nacional de inspeção ao negócio dos casamentos nos próximos três meses.

Os inspetores tributários vão estar no terreno a partir do segundo fim-de-semana de junho até setembro para controlar a empresas e pessoas singulares que se dedicam a atividades económicas relacionadas com casamentos, muitas delas identificadas tradicionalmente com situações de evasão fiscal.

Esta ação está prevista numa ordem de ações de inspeção que partiu no início desta semana das direções de Finanças de praticamente todo o país, conforme avança o Jornal Económico na sua edição desta sexta-feira (acesso pago).

Na mira do fisco estão as empresas de catering e de animação, o aluguer dos espaços do evento, fotógrafos e floristas. Também os milhões que giram à volta dos festivais de verão são ser controlados. O fisco vai inspecionar faturação de bilheteiras, contratos e pagamentos aos artistas em cerca de 100 eventos.

Numa das ordens de inspeção, a que o JE teve acesso, é solicitada a participação de várias centenas de inspetores tributários nas ações de fiscalização que serão realizados em horário extralaboral com predominância aos sábados.

Recomendadas

Empresas precisam de mudanças que deem sinal de esperança, diz bastonária dos contabilistas

Paula Franco tem “expectativa” de que no próximo Orçamento do Estado sejamos “surpreendidos com medidas que aumentem a confiança”.

Governo quer prolongar Programa Regressar e aumentar o benefício do IRS Jovem

O Governo quer prolongar o regime fiscal associado ao programa Regressar e aumentar o benefício anual do IRS Jovem, segundo a proposta do acordo de rendimentos e competitividade que está a ser hoje discutida na Concertação Social.

Apoios às famílias: “Vamos até onde podemos ir”, diz Medina

O ministro das Finanças é ouvido esta quarta-feira pelos deputados da Comissão de Orçamento e Finanças da Assembleia da República. Fernando Medina fala nesta comissão uma semana depois de ter sido apresentado o pacote de medidas de apoio às famílias e a menos de um mês do prazo de entrega da proposta de Orçamento do Estado para 2023 (OE2023).
Comentários