Fitch reafirma rating do Santander Totta

A Fitch considera os níveis adequados de capitalização do banco detido a 100% pelo Santander Espanha, lembrando que “apesar da integração do Banco Popular Portugal, o Santander Totta continua a comparar bem com os seus concorrentes”.

Cristina Bernardo

A agência Fitch reafirmou o rating da dívida de longo prazo do Santander Totta em BBB+ e melhorou o rating de viabilidade de bb+ para bbb-. A agência reafirmou ainda o rating da dívida de curto prazo em F2. Os outlooks são estáveis.

A agência justifica que a Fitch salienta que “o Santander Totta tem mantido consistentemente uma qualidade de ativos significativamente melhor que a do setor, mesmo depois da integração do Banif e do Popular”.

As atuais notações de rating da dívida de longo prazo do Banco, em comparação com os níveis da República Portuguesa são as seguintes: Fitch – BBB+ (Portugal – BBB); Moody’s – Baa3 (Portugal – Baa3); S&P – BBB- (Portugal – BBB-); e DBRS – A (Portugal – BBB).

A agência de notação refere que “as atividades do Santander Totta em Portugal são estrategicamente importantes para o grupo, enquanto a gestão independente é significante. O Santander Totta tem feito um percurso longo e com sucesso no apoio aos objetivos do grupo”.

Sobre o rating de viabilidade, a Fitch explica que “a melhoria deve-se principalmente à capacidade que o Banco tem demonstrado em ter um bom desempenho e em integrar progressivamente o Banco Popular Portugal, sem comprometer a sua rentabilidade ajustada ao risco ao longo do ciclo económico. O seu core business tem sido resiliente e o Banco tem gerado uma rentabilidade adequada, mantendo simultaneamente a qualidade dos ativos controlada”.

Este rating considera também os níveis adequados de capitalização, lembrando que “apesar da integração do Banco Popular Portugal, o Santander Totta continua a comparar bem com os seus concorrentes”.

 

Recomendadas

Bancos sujeitos a coimas até 1,5 milhões se não aplicarem diploma do Governo para crédito à habitação

Está já em vigor, a partir deste sábado, o diploma que estabelece medidas destinadas a mitigar os efeitos do incremento dos indexantes de referência de contratos de crédito para aquisição ou construção de habitação própria permanente. Bancos têm 45 dias a partir de hoje para aplicar as medidas.

Complemento excecional a pensionistas: SNQTB remeteu nova carta ao Primeiro-Ministro

Depois do OE2023 ter sido aprovado o Sindicato Nacional dos Quadros e Técnicos Bancários diz que “o Partido Socialista mantém a injustiça em relação aos bancários reformados que foram indevidamente excluídos da atribuição do complemento excecional a pensionistas”.

Sete bancos lucraram dois mil milhões até setembro, mais 71% do que no período homólogo

Os lucros dos sete maiores bancos – Caixa Geral de Depósitos, BCP, Novobanco, Santander Totta, BPI, Crédito Agrícola e Banco Montepio somam 2.006,3 milhões de euros até setembro deste ano, o que compara com um valor de 1.172 milhões nos nove meses do ano passado. O que significa que os lucros dos sete bancos cresceram 71,2%.
Comentários