Fitch reduz rating da dívida brasileira

A agência de notação financeira norte-americana Fitch anunciou a redução do rating da dívida brasileira de “BBB” para “BBB-“, mantendo-a ainda dentro do nível de investimento. A perspetiva da classificação foi negativa, o que indica que pode haver um novo rebaixamento da nota num próximo movimento da agência. No dia 9 de setembro, a Standard […]

A agência de notação financeira norte-americana Fitch anunciou a redução do rating da dívida brasileira de “BBB” para “BBB-“, mantendo-a ainda dentro do nível de investimento.

A perspetiva da classificação foi negativa, o que indica que pode haver um novo rebaixamento da nota num próximo movimento da agência. No dia 9 de setembro, a Standard & Poor’s também baixou a nota da dívida do Brasil, reduzindo-a para o nível de não investimento.

A Fitch divulgou que o corte do rating do Brasil resulta dos grandes desafios fiscais do Brasil, à deterioração das perspetivas de crescimento da economia e ao maior peso da dívida do Governo, segundo a imprensa brasileira.

Na terça-feira, analistas consultados pelo Banco Central brasileiro estimaram que o Produto Interno Bruto (PIB) do país terá uma retração de 2,97% este ano e que a inflação termine o ano em 9,7%, acima do teto previsto pelo Governo.

OJE

Recomendadas

Taxas médias das Euribor sobem em novembro, mas menos do que em outubro

Além de uma desaceleração face a outubro, as taxas médias da Euribor subiram mais acentuadamente nos prazos mais curtos do que nos mais longos, já que cresceram 0,397 pontos a três meses, 0,324 pontos a seis meses e 0,199 pontos a 12 meses.

PSI no ‘verde’ no início da sessão em linha com praças europeias

No mercado petrolífero, o brent sobe 0,80% para 84,92 dólares e o crude avança 0,72% para 78,76 dólares.

Topo da Agenda: o que não pode perder nos mercados e na economia esta quarta-feira

Portugal tem mostrado algum atraso em relação ao resto da zona euro no que respeita à pressão nos preços, continuando numa dinâmica de aceleração que se estende ao indicador subjacente, levantando mais preocupações quanto à duração e extensão do fenómeno na economia nacional.