Fixando cresce e alarga atividade internacional à Áustria e Suíça

As operações da plataforma de contratação online nestes dois países arrancam com cerca de 5.000 profissionais numa dezena de categorias, que incluem catering, fotografia e design de interiores.

A plataforma de contratação de serviços Fixando, lançada, no início deste ano, em Portugal e na Alemanha, por  Miguel Mascarenhas, também fundador do FixeAds, grupo especializado na criação de plataformas online de classificados e e-commerce, detentor dos portais OLX, Standvirtual, Imovirtual, Coisas e Faturavirtual, vai oferecer os seus préstimos em dois países desenvolvidos e onde se fala a língua alemã.

A nossa presença no mercado alemão foi um dos principais impulsionadores para a seleção destes dois países que, ao mesmo tempo, têm uma dimensão significativa (com mais de 8 milhões de habitantes em cada país) e carecem de opções ao nível de marketplaces de serviços locais”, explica Miguel Mascarenhas, co-fundador da plataforma.

A proximidade ao mercado alemão permite à Fixando introduzir o seu know-how em negócios online, através dos especialistas que já tem a operar neste mercado. Com efeito, mais de uma centena dos 5.000 profissionais que vão oferecer os seus serviços na Áustria e na Suíça “disponibilizam os serviços remotamente a partir da Alemanha”.

A plataforma oferece cerca de 10 diferentes categorias, que incluem serviços como catering, fotografia e design de interiores.

Fixando permite a contratação de um serviço, através da apresentação de até cinco propostas de profissionais em 48 horas. Para o seu fundador, a plataforma é uma “ferramenta privilegiada para os profissionais, pequenos empresários e freelancers angariarem mais clientes e aumentarem o volume de negócios”.

 

Recomendadas

Fitch melhora perspetiva do rating do BCP

A mudança de perspectiva para o rating do BCP reflete, em parte, uma maior clareza em torno do provisionamento necessário para cobrir os riscos legais do Bank Millennium com empréstimos hipotecários denominados em francos suíços, na Polónia.

Apenas 18,5% das empresas em Portugal pagam a fornecedores dentro do prazo

Em Espanha, o principal parceiro comercial de Portugal, 44,4% das empresas cumprem estes prazos.

Portugal corre risco de “desvantagem competitiva” na Europa sem investimento público no 5G, alerta CEO da Ericsson

Andrés Vicente, CEO da Ericsson Iberia, analisou as verbas destinadas ao investimento no 5G (que constam nos Planos de Recuperação e Resiliência) e considera que Portugal corre o risco de partir atrás na transição digital europeia. “Tal não será suficiente para aproveitar todo o potencial do 5G e pode abrir uma desvantagem competitiva com outros países”, disse ao JE.
Comentários