FMI chega a acordo com Guiné-Bissau para programa de Facilidade de Crédito Alargado

O Fundo Monetário Internacional (FMI) anunciou hoje ter chegado a acordo com as autoridades da Guiné-Bissau para negociar um programa de 36 meses no âmbito do mecanismo de Facilidade de Crédito Alargado (FMI).

O Fundo Monetário Internacional (FMI) anunciou hoje ter chegado a acordo com as autoridades da Guiné-Bissau para negociar um programa de 36 meses no âmbito do mecanismo de Facilidade de Crédito Alargado (FMI).

“O corpo técnico do FMI chegou a acordo com as autoridades da Guiné-Bissau sobre um programa a médio prazo a apoiar por recursos do FMI de cerca de 36,3 milhões de dólares [35,4 milhões de euros] ao abrigo da Facilidade de Crédito Alargado”, afirmou o chefe da missão do corpo técnico, José Gijon.

O programa de 36 meses que visa apoiar as políticas económicas da Guiné-Bissau ainda está sujeito à aprovação da direção do FMI e apreciação pelo seu Conselho de Administração.

Recomendadas

Guiné Equatorial é o único regime autoritário entre lusófonos, aponta relatório

Relatório “Estado Global das Democracias”, elaborado pelo Instituto Internacional de Democracia e Assistência Eleitoral, não inclui nenhuma referência a São Tomé e Príncipe. Nas categorias Governo Representativo, Direitos Fundamentais, Controlo do Poder Executivo e Imparcialidade da Administração, Cabo Verde é entre os países de língua oficial portuguesa o mais bem classificado em todas, com exceção de Portugal.

Venezuela e Moçambique promovem cooperação “estratégica” na área espacial

O presidente da Agência Bolivariana para as Atividades Espaciais (ABAE) venezuelana, Adolfo Godoy, encontrou-se na terça-feira com a coordenadora da Agência Nacional de Desenvolvimento Geoespacial moçambicana, Odete Semião, de acordo com um comunicado.

Primeiro-ministro são-tomense pede “unidade e convergência” para reformas do governo

“Renovamos o nosso apelo à unidade e convergência nas ações e reformas estruturantes a serem empreendidas pelo governo. A terra é nossa e a sua recuperação é nossa responsabilidade exclusiva”, afirmou Patrice Trovoada, na apresentação do programa do Governo, na Assembleia Nacional.
Comentários