FMI vê como difícil que vários países europeus escapem a uma recessão

O Fundo Monetário Internacional vê como difícil para várias economias europeias, a começar pela Alemanha, evitarem uma recessão na atual conjuntura, mesmo que seja “suave”.

O Fundo Monetário Internacional vê como difícil para várias economias europeias, a começar pela Alemanha, evitarem uma recessão na atual conjuntura, mesmo que seja “suave”.

Durante a conferência de imprensa de apresentação do relatório sobre a situação económica e as perspetivas na Europa, publicado esta sexta-feira, o diretor do FMI para a Europa, Alfred Kammer, alertou que as grandes economias do continente, à exceção de Espanha, já não crescem, encontrando-se num ambiente de crescimento “zero”, e algumas podem entrar numa recessão técnica, mesmo que seja “suave”.

Segundo o responsável do FMI, entre as grandes economias europeias, a que corre maior risco é a Alemanha, quer pela dependência da energia russa, quer pelos constrangimentos que está a enfrentar nas cadeias de abastecimento.

De acordo com Kammer, embora possa ser uma recessão “leve” é possível no caso deste país.

O relatório projeta diferentes cenários caso a guerra na Ucrânia se prolongue e faz uma estimativa do que pode acontecer se a Rússia cortar o fornecimento de gás: se o corte durar seis meses será suportável, mas se durar um ano, a queda média do Produto Interno Bruto (PIB) na região poderia ser de 3%, com intervalos por país a variar entre 1% a 6%, neste último caso na Alemanha.

O FMI publicou esta sexta-feira o relatório sobre a situação económica e as perspetivas na Europa, que aponta para uma previsão de crescimento para as economias avançadas da região de 3% e de 3,2% no caso das economias emergentes da região.

Nesse cálculo, o FMI não inclui a Rússia, Bielorrússia ou a Ucrânia, cujas quedas de crescimento são maiores devido ao conflito, nem a Turquia.

Já a inflação média nas economias avançadas é estimada em 5,5% este ano e a das economias emergentes em 9,1%.

Recomendadas

Nova funcionalidade permite consultar online comprovativos de pagamento à Segurança Social

Os comprovativos de pagamento à Segurança Social já podem ser consultados online.

Portugal dispõe de mais 51 milhões para financiar setor da agricultura em crise

Portugal vai disponibilizar mais 51 milhões de euros de fundos para os agricultores, no âmbito do aumento de custos de produção, depois de Bruxelas ter aprovado a mobilização de verbas do desenvolvimento rural, anunciou hoje a ministra da Agricultura.

Mundo tem apenas “dez semanas” de abastecimento de trigo, alerta analista

Ao fornecer os dados, Menker alertou que, devido aos aumentos de preços este ano, outros 400 milhões em todo o mundo ficaram “inseguros em relação à alimentação”
Comentários