Fogo-de-artifício na Madeira acompanhado por 10 navios

O espetáculo pirotécnico que assinala a entrada em 2015 na Madeira terá 35 postos de fogo-de-artifício e, segundo a Administração dos Portos da região, será acompanhado por 10 navios de cruzeiro ancorados na baía do Funchal. Entre tripulantes e turistas, são esperadas cerca de 20.000 pessoas para assistir ao espetáculo nos mares da Madeira. De […]

O espetáculo pirotécnico que assinala a entrada em 2015 na Madeira terá 35 postos de fogo-de-artifício e, segundo a Administração dos Portos da região, será acompanhado por 10 navios de cruzeiro ancorados na baía do Funchal.

Entre tripulantes e turistas, são esperadas cerca de 20.000 pessoas para assistir ao espetáculo nos mares da Madeira.

De acordo com a empresa vencedora do concurso para realização do espetáculo “Diamante de Luz” – a Macedo’s Pirotecnia, do Norte do país –, este ano a iniciativa será diferente, “porque o número de peças a ser detonado é muito superior, criando um espetáculo mais dinâmico, muito menos repetitivo”.

Este ano o Governo Regional irá investir 1,046 milhões de euros no fogo, contra os 945 mil euros de 2013.

O responsável pela empresa, Carlos Macedo, disse hoje que haverá 130.014 disparos (cerca do dobro do ano passado), um número elevado por se usar “muitas peças de menor calibre” numa “variedade de cores e luzes”.

Tal como no ano passado, haverá 35 postos de fogo – oito na orla marítima, três no mar, 23 no anfiteatro da cidade e um na ilha do Porto Santo.

“No mar serão [peças] de muito grande calibre, peças que eram impossíveis utilizar em terra e na Avenida do Mar, onde temos imensas peças de pequeno calibre”, explicou.

Quanto ao desenho do espetáculo, Carlos Macedo referiu que “é possível imaginar o espetáculo como um jardim que tem grandes e pequenas flores, devido à diversidade do tamanho das peças pirotécnicas”.

 

OJE/Lusa

Recomendadas

Emirados Árabes Unidos vão fornecer à Alemanha gás liquefeito e gasóleo em 2022 e 2023

Segundo a agência noticiosa oficial dos Emirados, Wam, o acordo prevê a exportação de uma carga de gás natural liquefeito (GNL) para a Alemanha no final de 2022, seguida do fornecimento de quantidades adicionais em 2023.

Angola cresce 3,5% este ano, mas abranda para 1,8% em 2023

“O forte crescimento de Angola este ano dificilmente vai prolongar-se para 2023, já que a produção petrolífera deverá regressar à tendência decrescente”, lê-se numa análise às maiores economias da África subsaariana, região que deverá ver o PIB deste ano expandir-se 3,3%, abrandando face aos 4,4% do ano passado.

China diz que EUA estão a enviar “sinais perigosos” sobre Taiwan

O ministro dos Negócios Estrangeiros chinês deixou claro que uma escalada das atividades independentistas torna difícil um acordo pacífico, no que diz respeito a Taiwan,