Força Aérea integra missão no Mali

Trinta militares portugueses partiram hoje para o continente africano para integrar a missão da ONU naquele país.

Trinta militares portugueses da Força Aérea partiram hoje para o Mali para integrar a missão da ONU naquele país.

“O contingente que partiu hoje constitui o grosso das tropas que vão cumprir a missão MINUSMA naquele país africano, sob a égide da Organização das Nações Unidas (ONU)”, relatou o porta voz da Força Aérea à agência Lusa segundo meios de comunicação.

A missão portuguesa neste país africano vai substituir a Força Aérea da Noruega e prevê-se que dure seis meses. É composta por cerca de 60 militares que vão integrar operações de transporte aéreo logístico de mercadorias pretendendo cobrir todo o país.

Outros dois grupos de militares partiram para o mesmo destino nos últimos dias, sendo que esses fazem parte do grupo avançado, explicou o porta-voz, acrescentando que “no voo de hoje seguiu ainda uma equipa médica da Força Aérea, que vai acompanhar e fazer regressar” um militar português que adoeceu no terreno.

A Força Aérea já tinha participado em 2015 numa missão neste país, também com as Nações Unidas.

Recomendadas

Forças ucranianas assumem controlo de cidade em região anexada

A Rússia anunciou, no sábado, a retirada das suas forças de Lyman, pouco depois de o exército ucraniano ter dito que tinha cercado milhares de soldados russos na zona.

Primeira-ministra britânica admite que deveria ter “preparado melhor o terreno” para as medidas

Investidores reagiram ao pacote de cortes fiscais e congelamento dos preços da energia com desconfiança, devido à falta de projeções económicas e planos detalhados para controlar a crescente dívida pública.

Eleições do Brasil: Lula vence na Austrália e Nova Zelândia, Bolsonaro vence em Timor-Leste

Segundo dados obtidos pela Lusa, Lula conseguiu 701 votos contra 223 em Jair Bolsonaro na votação na Austrália e venceu na Nova Zelândia com 328 votos, contra 71 votos em Jair Bolsonaro.
Comentários