Força aérea paquistanesa avisa Índia contra guerra de larga escala

O Chefe de Estado-Maior da Força Aérea paquistanesa avisou hoje a índia que as disputas relativas a Caxemira podem evoluir para um conflito a larga escala e aconselhou Nova Deli a conter-se.

O aviso do marechal Sohail Aman surgiu em reação a um incidente na passada quarta-feira na fronteira entre os dois países na região dos Himalaias, em que, de acordo com as autoridades paquistanesas, as forças indianas terão aberto fogo, matando 12 civis e três militares paquistaneses.

A ameaça do chefe militar foi ainda mais longe, deixando claro que, se as forças indianas enveredarem pela escalada da crise, as tropas paquistanesas “sabem muito bem o que fazer”, afirmou Sohail Aman, citado pela agência Associated Press.

Em visita a Islamabad, o ministro britânico dos Negócios Estrangeiros, Boris Johnson, reuniu-se com o seu homólogo paquistanês, Sartaj Aziz, e manifestou no final do encontro as preocupações com a escalada da crise sobre Caxemira, apelando a ambos os Estados a que “mantenham o diálogo positivo”.

A região de Caxemira, nos Himalaias, dividida pelos dois países e reclamada por inteiro por ambos, cuja população é de larga maioria muçulmana, esteve já na origem de duas das três guerras entre a Índia e o Paquistão.

Hoje mesmo, o primeiro-ministro paquistanês, Nawaz Sharif promoveu uma reunião de alto nível para avaliar a situação na região. “Nunca abandonaremos as nossas origens em Caxemira nem a sua luta pela liberdade”, afirmou no final do encontro, de acordo com um comunicado do Governo paquistanês, citado pela AP.

Recomendadas

“Ameaça russa” leva países nórdico-bálticos a reerguer defesas da Guerra Fria

A “ameaça russa” está a levar os países da região nórdico-báltica a reconstruir infraestruturas de defesa que tinham sido abandonadas com o fim da Guerra Fria, reconhecem analistas.

Antigo PM britânico David Cameron defende que países pobres desenvolvam energias fósseis

O antigo primeiro-ministro britânico David Cameron acusou hoje em Londres de “hipocrisia” a comunidade internacional por estar a pressionar países em desenvolvimento a não investir em combustíveis fósseis devido às alterações climáticas.

Tribunal russo proíbe movimento de protesto Vesná declarando-o extremista

Um tribunal russo declarou hoje como organização extremista o movimento Vesná (‘Primavera’), que organizou protestos em todo o país contra a mobilização parcial para combater na Ucrânia, decretada em setembro passado pelo Presidente Vladimir Putin.
Comentários