Formação da Católica-Lisbon ajuda a internacionalizar nos EUA

A Adega Mayor do grupo Nabeiro é a primeira marca portuguesa a participar no Católica-Kellogg International Brands Workshop, formação que junta as escolas de negócios portuguesa e norte-americana.

O Católica-Kellogg International Brands Workshop, programa de formação executivo que junta as escolas de negócios portuguesa e norte-americana que lhe dão o nome, foi criado com o objetivo de lançar marcas portuguesas na maior economia do mundo.

“Estamos a planear lançar a nossa marca no mercado norte-americano, pelo que consideramos fundamental a aposta neste programa que nos vai permitir uma análise mais aprofundada sobre as particularidades deste mercado específico”. Assim justifica Rita Nabeiro, CEO da Adega Mayor, a adesão da empresa que lidera à parceria entre a Católica-Lisbon e a Kellogg.

A primeira edição do programa decorre até final da semana nas instalações da Católica-Lisbon, sendo ministrado pelos professores da Kellogg School of Management, Alexander Chernev e Sérgio Rebelo. Contará também com a participação de 55 executivos de topo norte-americanos, que vão discutir com a equipa da Adega Mayor as ideias e estratégias que servirão de base ao lançamento da marca nos EUA.

O programa abordará temas como international finance, strategic brand management, live case presentation.

 

 

 

 

Recomendadas

PremiumAntigas gestoras voltam ao mercado de trabalho com a Católica-Lisbon

Programa destina-se a mulheres com background na área de gestão, finanças e economia, que estão fora há, pelo menos, dois anos. Há nova edição na forja.

PremiumParceria com Universidade Eduardo Mondlane reforça aposta da UPT na lusofonia

A cooperação entre as universidades portuguesa e moçambicana abrange as áreas da formação avançada, da mobilidade de estudantes e de ‘staff’, da formação pedagógica de docentes, bem como projetos de investigação.

Número de inscritos no ensino superior atinge máximo histórico com mais de 433 mil estudantes

“Este resultado mantém Portugal na trajetória necessária para atingir as metas de qualificação de longo prazo”, aponta o Governo.
Comentários