Fortnite. Como um jogo gratuito rendeu quase 3 mil milhões de euros só este ano

Apesar do Fortnite ser de download gratuito, aquele que muitos consideram o jogo do ano é uma autêntica máquina de fazer dinheiro e tudo graças aos itens digitais que podem ser adquiridos no jogo: armas, acessórios e até passos de dança.

Das consolas aos computadores, passando pelos smartphones e tablets, o Fortnite está em todo o lado e já angariou milhões e milhões de fãs em todo o mundo. Aquele que está a ser considerado pelas publicações da especialidade o jogo mais impactante do ano já rendeu 2,7 mil milhões de euros (3 mil milhões de dólares) à Epic Games só em 2018, de acordo com informação divulgada pela TechCrunch, um site especializado em tecnologia.

Apesar do Fortnite ser de download gratuito, aquele que muitos consideram o jogo do ano é uma autêntica máquina de fazer dinheiro e tudo graças aos itens digitais que podem ser adquiridos no jogo: armas, acessórios e até passos de dança. Tudo se vende no Fortnite e vale tudo para se diferenciar dos demais oponentes.

E quem pensa que o fenómeno vai ficar circunscrito a 2018, pode estar completamente enganado. A Epic Games já chegou a acordo para explorar o jogo ao máximo e como seria de esperar vêm aí toneladas de merchandising e outros produtos que terão como objetivo fidelizar ainda mais o utilizador.

O estrondoso êxito do Fornite permitiu à Epic Games uma injeção de capital que permitiu à empresa valorizar-se em mais de 15 mil milhões de dólares, de acordo com o The Wall Street Journal.

Antes de criar o Fortnite, a Epic Games já era conhecida no meio dos videojogos pelo motor gráfico Unreal Engine que é disponibilizado a outras empresas de desenvolvimento de jogos para a criação de outros títulos.

Recomendadas

António Saraiva: “O ministro da Economia talvez tenha sido um pouco extemporâneo”. Ouça o podcast “Discurso Direto”

Discurso Direto é um podcast do Novo Semanário e do Jornal Económico onde todas as semanas são entrevistados os protagonistas da política, da economia, da cultura e do desporto.

Revista de imprensa nacional: as notícias que estão a marcar esta segunda-feira

  Público Extrema-direita prepara-se para governar a Itália pela primeira vez Autárquicas foram há um ano. Rui Moreira e Isaltino Morais querem suspensão da descentralização Guerra na Ucrânia. Mobilização atinge em força zonas pobres e rurais da Rússia   Jornal i O dia em que a direita de Meloni tomou de assalto Itália NASA. Hoje […]

Topo da Agenda: o que não pode perder nos mercados e na economia esta semana

A semana arranca com os mercados a reagir à vitória do partido extrema-direita liderado por Giorgia Meloni em Itália. Esta segunda-feira, Christine Lagarde fala no Parlamento Europeu e, por cá, o Instituto Nacional de Estatística divulga as tábuas da mortalidade em Portugal, referentes ao período pandémico. Conheça a agenda da semana.
Comentários