França. Número de empregos aumentou 2,2% face aos melhores registos do ano passado

Em comparação com o quarto trimestre de 2019 (o último anterior à pandemia), houve um aumento de 4,3% (+856.800 empregos). No caso do sector industrial, excluindo os empregos temporários, o emprego atingiu os seus números mais elevados desde o primeiro trimestre de 2015.

2 – Paris, França

Em França, no terceiro trimestre do ano, o número de trabalhadores do sector privado registou um valor máximo, ultrapassando os melhores registos de 2021 em 2,2% (+445 mil empregos) e do quarto trimestre de 2019 (o último anterior à pandemia) em 4,3% (+856.800 empregos). Os valores foram revelados pelo escritório de estatísticas de França.

No terceiro trimestre de 2022 observou-se um aumento de 0,4% (+89.400 postos de trabalho) face ao trimestre anterior. No primeiro e segundo trimestres de 2022, tinham-se observado subidas de 0,4% (+88.200) e 0,5% (+93 mil), respetivamente.

O número de empregos temporários naquele país também aumentou no terceiro trimestre do presente ano. Contabilizou-se um crescimento de 2,3% (+18.300 empregos), depois de dois trimestres em queda. Assim sendo, o número de empregos temporários continua acima dos registos pré-pandemia, com uma diferença de 3,9%.

No sector industrial, excluindo os empregos temporários, o emprego atingiu os seus números mais elevados desde o primeiro trimestre de 2015, com crescimento de 0,4% (+12.500 postos de trabalho) no terceiro trimestre do ano, face ao período anterior. Depois de ter atingido os valores de 2019 no segundo trimestre, regista agora números superiores ao período anterior à pandemia em 0,4% (+12.900 empregos).

Na construção, excluindo os empregos temporários, o número de trabalhadores aumentou 0,1% no terceiro trimestre (+1.600). Nos últimos dois anos, verificou-se um crescimento na ordem dos 6,4% (+94.500 trabalhadores).

Nos serviços de mercado privado não temporários, o emprego aumentou 0,5% no terceiro trimestre (+60.400 postos de trabalho), o que resulta numa subida de 2,7% face ao período homólogo (+323.500) e de 5,2% em comparação com o período anterior à pandemia (+601.500).

Nos serviços de mercado privado, o emprego cresceu 0,1% no terceiro trimestre (+1.800 empregos), bem acima dos níveis observados em 2019, quando houve um crescimento de 4,4% (+144.100 trabalhadores).

Recomendadas

CEO da EDP diz que Portugal tem sido “exemplo de estabilidade” nos preços para as famílias

Em declarações aos jornalistas durante uma visita a um parque solar flutuante em Singapura, o CEO da EDP disse que a evolução dos preços em Portugal, incluindo um aumento médio de cerca de 3% do valor global da fatura de eletricidade dos clientes residenciais da EDP Comercial a partir de janeiro, “é uma coisa perfeitamente estável face ao enquadramento que existe”.

Topo da Agenda: o que não pode perder nos mercados e na economia esta quarta-feira

A União Europeia deverá divulgar na quarta-feira dados concretos sobre a evolução do emprego no terceiro trimestre deste ano. O indicador é importante na definição da estratégia de política monetária daqui para a frente, já que historicamente sinaliza (ou não) um cenário de recessão – uma preocupação que tem estado na agenda dos bancos centrais.

Adjudicados últimos seis lotes do concurso para fornecimento de serviços à rede SIRESP

O concurso para fornecimento de serviços à rede de emergência SIRESP foi concluído na segunda-feira, antes do prazo, com a adjudicação dos restantes seis lotes, anunciou hoje a empresa que gere o sistema.
Comentários