França: Participação cai para 63,23% às 17h00

A participação na segunda volta das presidenciais francesas era de 63,23% às 17h00 locais (16h00 em Lisboa), a duas horas do encerramento das primeiras assembleias de voto, quase dois pontos abaixo da primeira volta.

Gonzalo Fuentes/Reuters

A participação na segunda volta das presidenciais francesas era de 63,23% às 17h00 locais (16h00 em Lisboa), a duas horas do encerramento das primeiras assembleias de voto, quase dois pontos abaixo da primeira volta.

Na segunda volta das presidenciais em 2017, que foi disputada, tal como este domingo, pelo centrista Emannuel Macron e pela líder da extrema-direita Marine Le Pen, a participação era de 65,30% à mesma hora.

Na primeira volta das presidenciais, realizada há duas semanas, Macron, o Presidente cessante, obteve 27,85% dos votos, contra os 23,15% de Le Pen.

Relacionadas

França: Habitantes de Saint-Denis votam para travar entrada de Marine Le Pen no Eliseu

Em Saint-Denis, nos arredores de Paris, a primeira volta das eleições presidenciais foi ganha com mais de 60% por Jean-Luc Mélenchon e este domingo, “por exclusão de partes”, a população vota Emmanuel Macron para travar chegada de Le Pen ao Palácio do Eliseu.

Eleições francesas: participação atinge 26,41% até ao meio-dia, crescendo ligeiramente face à primeira volta

Na primeira volta das presidenciais, realizada a 10 de abril tinham votado à mesma hora 25,48% dos eleitores.
Recomendadas

OE2022: Aprovada proposta do PSD que altera regras para contratação de estrangeiros

O Orçamento do Estado para 2022 (OE2022) suspende a “fixação do contingente global para efeitos de concessão de visto de autorização de residência para exercício de atividade profissional subordinada”.

CEO da Microsoft destaca plataforma para ajudar a Ucrânia criada por português

Satya Nadella diz que o “Ukraine Live Aid”, para prestar apoio aos refugiados ucranianos, foi um dos trabalhos “significativos” e “muito necessários” que feitos com as Power Pages da Microsoft.

Covid-19. Atual vaga provoca 30 milhões de horas de trabalho perdidas

A atual vaga de infeções pelo SARS-CoV-2, que deve atingir o pico na primeira quinzena de junho, vai provocar cerca de 30 milhões de horas de trabalho perdidas, prevê um relatório do Instituto Superior Técnico sobre a pandemia.
Comentários