França pondera reabrir uma central de carvão devido à guerra na Ucrânia

A central a carvão em causa é a de Saint-Avold, na fronteira norte com a Alemanha. A ideia é a de reabrir a central provisoriamente, no próximo inverno.

O Governo francês está a ponderar reabrir provisoriamente, no próximo inverno, a central a carvão de Saint-Avold, na fronteira norte com a Alemanha, para enfrentar as dificuldades criadas pela guerra na Ucrânia, confirmou este domingo o executivo em Paris.

Segundo a agência EFE, a notícia foi avançada pela estação de rádio RTL e entretanto confirmada pelo Governo francês, dando conta de que esta hipótese foi incluída no futuro projeto de lei sobre o poder de compra, com o objetivo de garantir o abastecimento de eletricidade do país no próximo inverno.

Com a reabertura daquela central, que encerrou a atividade em 31 de março, França voltaria a ultrapassar o limite máximo de 700 horas anuais de operação de centrais a carvão no seu território, numa altura em que se estão a esgotar os abastecimentos russos e quase metade das centrais nucleares do país estão ainda paradas devido a reparações.

O texto, que deverá ser apresentado no início de julho, no Conselho de Ministros, indica que o fornecimento de eletricidade em França, no inverno de 2022, estará sob “vigilância apertada”.

O Ministério da Transição Energética confirmou hoje este plano, mas garantiu que os volumes de produção de carvão serão baixos.

“De qualquer forma, representaria menos de 1% da eletricidade produzida a que seria gerada com carvão”, insiste o Ministério, defendendo que o carvão russo não será usado.

Esta decisão já estava contemplada na altura do encerramento da central, para casos específicos em que fosse necessário reforçar a produção de energia elétrica.

Após o encerramento de Saint-Avold, apenas uma central termoelétrica a carvão permanece em funcionamento em França, em Cordemais, no departamento de Loire-Atlantique, que o Presidente Emmanuel Macron tinha prometido fechar devido aos altos níveis de poluição.

Recomendadas

Misericórdia contrata grupo Gabriel Couto para empreitada de 7,5 milhões

Reabilitação e construção de um empreendimento imobiliário no centro de Lisboa vai permitir a oferta de 32 novos apartamentos de tipologias diversas.

Media Capital passa de prejuízo a lucro de 40,7 milhões no primeiro semestre

A Media Capital passou de prejuízos de 8,4 milhões de euros no primeiro semestre de 2021 a lucros de 40,7 milhões de euros nos primeiros seis meses deste ano, anunciou esta quinta-feira a dona da TVI.

Sector das TI pode ganhar 100 mil milhões com as empresas de média dimensão europeias

Hendrik Willenbruch, sócio da Oliver Wyman, diz que as organizações “recorrem cada vez mais a fornecedores externos, especialmente as médias empresas, que consideram mais difícil atrair talento num ambiente de escassez geral de especialistas em recursos” tecnológicos.
Comentários