França regista mais de 11 mil novos casos de infeção e estuda novas medidas regionais

Uma destas medidas é antecipar em algumas regiões o recolher obrigatório atualmente em vigor em todo o país, passando das 20h00 para as 18h00, segundo o ministro da Saúde francês.

Gonzalo Fuentes/Reuters

A França registou nas últimas 24 horas 11.395 novos casos de covid-19 e o Governo encoraja medidas suplementares nas regiões mais afetadas, como o alargamento do recolher obrigatório, segundo o ministro da Saúde francês, Olivier Véran.

Desde o início da pandemia, o país confirmou 2.574.041 casos do novo coronavírus.

Ainda nas últimas 24 horas, houve 384 mortes devido a covid-19 em meio hospitalar e, nos últimos três dias, 585 mortos em lares de idosos. Os números relativos aos mortos em lares são atualizados duas vezes por semana.

Segundo o ministro da Saúde, Olivier Véran, “há uma disparidade regional importante” na progressão da pandemia em França e, por isso, o Governo, que hoje esteve reunido num Conselho de Defesa, considera que devem ser tomadas medidas suplementares locais.

“Estamos a promover uma concertação com eleitos locais e prefeitos para tomar medidas suplementares onde for necessário”, disse o ministro em entrevista no canal de televisão France 2.

Uma destas medidas é antecipar em algumas regiões o recolher obrigatório atualmente em vigor em todo o país, passando das 20h00 para as 18h00.

O ministro indicou ainda que, neste momento, o Governo não pensa num novo confinamento nem nacional nem local.

A pandemia de covid-19 já provocou pelo menos 1.775.272 mortos resultantes de mais de 81,5 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP. Em Portugal, morreram 6.751 pessoas dos 400.002 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

Recomendadas

Covid-19: Principal órgão de segurança da China quer “repressão” das “forças hostis”

O principal órgão de segurança da China apelou hoje à “repressão” das “forças hostis”, após os protestos dos últimos dias nas principais cidades chinesas contra as restrições sanitárias e limitações das liberdades individuais.

Covid-19: Universidades chinesas mandam estudantes para casa

Universidades chinesas estão a enviar estudantes para casa para tentar evitar mais manifestações de protesto contra as restrições anticovid, numa altura em que muitas cidades estão a pedir aos residentes que evitem viajar.

Narrativa triunfal de Pequim sobre ‘zero covid’ confrontada com protestos

Após ter passado dois anos a cultivar uma narrativa triunfal quanto à estratégia ‘zero covid’, apesar dos custos económicos e sociais inerentes, a liderança chinesa parece estar encurralada face aos novos protestos da população.
Comentários