Franchising de hotéis de categoria superior aumentará 50%

Os proprietários de hotéis querem manter o controlo operacional dos ativos e a opção para a gestão está a passar pelo modelo de franchising. O segmento das quatro estrelas é aquele onde os franchisados mais apostam. Mais de 50% dos novos hotéis de 4 estrelas serão operados sob o modelo de franchising nos próximos cinco […]


Notice: Undefined offset: 1 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

Notice: Undefined offset: 2 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

Notice: Undefined offset: 1 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

Notice: Undefined offset: 2 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

Os proprietários de hotéis querem manter o controlo operacional dos ativos e a opção para a gestão está a passar pelo modelo de franchising. O segmento das quatro estrelas é aquele onde os franchisados mais apostam.

Mais de 50% dos novos hotéis de 4 estrelas serão operados sob o modelo de franchising nos próximos cinco anos, em vez dos tradicionais contratos de gestão com operadores, avança o mais recente estudo da CBRE sobre o setor.

Esta alteração resulta da vontade dos proprietários manterem o controlo operacional, maximizar o retorno do investimento e dos operadores optarem por uma estratégia de crescimento sem aquisição de ativos.

A maioria mercados-chave europeus hoteleiros está a assistir a um crescimento sólido nas receitas e rentabilidade e os investidores oportunísticos parecem ter confiança num crescimento contínuo de desempenho e na sua capacidade de o converter em maiores retornos sobre o investimento.

Como resultado existe uma maior procura por ativos livres de encargos em comparação com os que estão sujeitos a acordos de gestão menos flexíveis. Em consequência, aumentou a pressão nas yields por ativos sem os tradicionais contratos de gestão sendo que o diferencial entre os dois modelos de negócio alcançou 75 pb em alguns mercados europeus.

Eduardo Abreu, partner da neoturis, empresa participada pela CBRE, afirma: “Também em Portugal se assiste a uma maior representatividade da oferta hoteleira sob regime de franchise. Inicialmente concentrada em unidades de duas e três estrelas, mas a evoluir para as unidades de categoria superior. As competências de gestão hoteleira existentes em Portugal permitem, através do franchise, melhorar o posicionamento (ao nível de preço e ocupação) de unidades e grupos de menor dimensão, sem comprometer o controlo operacional dos hotéis”.

Owen Pritchard, responsável pelo departamento de Development da CBRE na região EMEA refere: “Vamos continuar a observar as empresas hoteleiras a oferecer serviços de franchising de hotéis de quatro estelas, assim como reforçar este modelo para as suas marcas mais económicas. Utilizando a Hilton como exemplo, podemos observar que os franchisings na Europa, durante os últimos dois anos, representaram perto de 57% do total de aberturas”.

OJE

Recomendadas

PremiumNorfin estima investir 750 milhões de euros em projetos até 2027

Deste valor, 700 milhões serão direccionados para a promoção de construção nova, nomeadamente, 350 milhões para a área residencial, 200 milhões para o segmento de escritórios, 100 milhões de euros para o sector da hotelaria e 50 milhões de euros em retalho.

PremiumMaior negócio imobiliário do ano em Portugal atrai 20 propostas (com áudio)

As propostas não vinculativas para a compra dos ativos que a VIC Properties pôs à venda foram entregues na passada sexta-feira. Entre as mais de 20 propostas entregues está a da Vanguard Properties para a Herdade do Pinheirinho.

Prestação da casa sobe entre 108 e 251 euros em dezembro

A prestação da casa paga pelos clientes bancários no crédito à habitação vai subir acentuadamente este mês nos contratos indexados à Euribor a três, seis e 12 meses, face às últimas revisões, segundo a simulação da Deco/Dinheiro&Direitos.