Frexit Suexit, Italexit, Austrexit: É a queda do império europeu?

Votações em Itália e Áustria podem provocar “efeito dominó” na Europa.

Norbert Hofer, candidato da extrema-direita, defende a realização de um referendo sobre o estatuto do país na União Europeia. Mais um passo para a anunciada desagregação europeia.
O candidato da extrema-direita às presidenciais austríacas, Norbert Hofer, irá apoiar a realização de um referendo sobre o estatuto de Estado-membro da União Europeia, caso o bloco se torne mais centralizado após o Brexit. Uma questão já suscitada por políticos em países como França, Holanda ou Dinamarca.

Hofer, que poderá tornar-se no primeiro presidente de extrema-direita da União Europeia, afirmou, em declarações à BBC, que a UE é importante para a Áustria, mas que quer “uma União Europeia melhor”. E insistiu que um voto neste referendo não seria, na sua opinião, um voto para a Áustria sair da UE. No entanto, afirmou o candidato da extrema-direita, existem dois fatores que podem fazê-lo mudar de ideias: uma futura decisão de conceder à Turquia o estatuto de Estado membro da União Europeia e a forma como o bloco irá reagir à saída do Reino Unido.

“Se a resposta ao Brexit for fazer uma União Europeia mais centralizada, na qual os parlamentos nacionais ficam esvaziados de poder e onde a união é governada como um Estado. Neste caso, teremos de fazer um referendo na Áustria, porque iria levar a uma mudança constitucional”, explicou Hofer à BBC.

Hoje, com a repetição da segunda volta, saberemos se o próximo presidente da Áustria será Norbert Hofer, de extrema-direita, ou Alexander Van der Bellen, antigo líder de Os Verdes e que concorre como independente.

Em França, a líder da Frente Nacional, Marine Le Pen, dada como a favorita nas presidenciais do próximo ano, já prometeu a realização de um referendo sobre a permanência do país na UE caso ganhe as eleições. Na Holanda, logo após a votação do Brexit, o nacionalista Geert Wilders também pediu um referendo. Sendo que, em junho, uma sondagem do canal Een Vandaag apontava que 54% dos holandeses queriam um referendo.

No rescaldo do Brexit, o eurodeputado eurocético sueco Peter Lundgren sugeriu que a Suécia e a Dinamarca “estavam à beira” de sair da UE e que poderia criar-se um “bloco económico nórdico” liderado pelo Reino Unido. Em dezembro, 53% dos dinamarqueses votaram contra a integração do país na área de justiça da UE, mantendo assim o estatuto do país. Em Itália, o líder da Liga Norte, Matteo Salvini, já começou uma petição para a realização de um referendo.

Recomendadas

Ucrânia: Operadora de eletricidade anuncia cortes de emergência em todo o país

A operadora de eletricidade ucraniana Ukrenergo avisou hoje que vai ser preciso realizar cortes de energia de emergência em toda a Ucrânia, devido aos mais recentes ataques russos.

Mike Pence rejeita comentários de Trump contra a Constituição dos EUA

O ex-vice-presidente norte-americano Mike Pence rejeitou hoje as afirmações de Donald Trump de que deveria “acabar-se” com a Constituição do país para que pudesse ser reintegrado na Presidência.

Ucrânia: Putin na Crimeia mostra que ambições do Presidente russo “encolheram”

O ministro dos Negócios Estrangeiros ucraniano, Dmytro Kuleba, reagiu com ironia às imagens mostrando o Presidente russo a atravessar hoje a ponte que liga a península da Crimeia à Rússia, dizendo que as ambições de Vladimir Putin “encolheram”.
Comentários