Fuga de motoristas da TVDE faz disparar preços (com áudio)

Apesar da existência de 30 mil motoristas certificados, mais de metade não se encontra atualmente e conduzir veículos para estas plataformas.

MÁRIO CRUZ/LUSA

As plataformas digitais de transporte de pessoas em veículos descaracterizados aumentaram o preço devido à escassez de motoristas, revela o “Jornal de Notícias”. Devido à falta de motoristas, plataformas como a Uber, Bolt e Free Now viram-se forçados a aumentar a tabela de preços devido à crescente procura pelo serviço.

Apesar da existência de 30 mil motoristas certificados, mais de metade não se encontra atualmente e conduzir veículos para estas plataformas. “Antes da Covid havia um carro em cada esquina e sempre à porta do cliente. Por causa do confinamento e da falta da procura, houve muitas desistências de motoristas e falências de empresas parceiras. Isso gerou um défice do lado da oferta”, adiantou o porta-voz do sindicato dos TVDE ao “JN”.

Em parte, a falta de motoristas também se deve aos custos elevados. Ou seja, a manutenção dos veículos e o aumento do preço dos combustíveis tornou a atividade incomportável para muitos motoristas.

Relacionadas

Motoristas TVDE insatisfeitos marcam manifestação. “Plataformas não tem custos com a atividade”, alerta sindicato

Segundo Fernando Fidalgo, do Sindicato dos Trabalhadores de Transportes Rodoviários e Urbanos de Portugal, “os parceiros operadores que continuam a empregar motoristas fazem-no alugando viaturas a recibos verdes, arranjam todas as formas e mais alguma, menos com o vínculo laboral”.

Motoristas e operadores de TVDE protestam na quarta-feira em Lisboa

“As principais razões para o protesto prendem-se com as relações coletivas de trabalho, a política tarifária e o poder absoluto que está contido por parte das plataformas digitais, que põem e dispõem sem ouvir parceiros e motoristas”, destacou Fernando Fidalgo, do Sindicato do Sindicato dos Trabalhadores de Transportes Rodoviários e Urbanos de Portugal.

Lei “Uber”: Setor já conta com perto de 32 mil motoristas e viu a pandemia agravar problemas

Atualmente, com perto de 32 mil motoristas, o setor dos TVDE tem vivido alguns problemas, agravados com a pandemia, quando alguns operadores de plataformas de TVDE (as empresas que dão nome às plataformas) decidiram alterar o multiplicador tarifário, mudando as margens de lucro dos motoristas.

Pressionadas pelo aumento da procura e falta de carros, plataformas TVDE procedem a ajustes (com áudio)

O desconfinamento da economia, e o facto de haver menos carros disponíveis, está a pressionar os preços que funcionam consoante a oferta e a procura. Empresas dizem que já estão a tomar medidas para aliviar pressão tarifária.

Táxis e TVDE passam a transportar passageiro na frente e transportes públicos deixam de ter limites

Desde 11 de junho que tinha terminado o limite de lotação dos lugares traseiros nos táxis e TVDE. A partir de segunda-feira, estes meios de transporte regressam à sua capacidade original.
Recomendadas

CGD vai continuar com uma posição de capital acima da média da Europa, diz Paulo Macedo

O presidente da Comissão Executiva da CGD disse hoje que o banco vai continuar com uma das maiores redes de agências e com uma posição de capital acima da média da Europa e acima dos bancos portugueses.

Alliance Healthcare tem um novo CEO

Paulo Clímaco Lilaia é o novo CEO da Alliance Healthcare, anunciou a empresa que  armazena e distribui produtos farmacêuticos, em comunicado.

Unicórnio Feedzai nomeia David Henshall para o conselho de administração

O antigo presidente e CEO da norte-americana Citrix Systems juntou-se à gestão da empresa liderada por Nuno Sebastião, conhecida pela sua plataforma digital de gestão de risco e fraude financeira.
Comentários