Fumo branco!!!

Finalmente o Sr. Presidente da República deu posse ao Governo que alcançou o apoio parlamentar nas últimas eleições.


Notice: Undefined offset: 1 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

Notice: Undefined offset: 2 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

Custou mas foi!!!

Finalmente o Sr. Presidente da República deu posse ao Governo que alcançou o apoio parlamentar nas últimas eleições.
Podem fazer-se inúmeras críticas a António Costa mas há que lhe fazer justiça: demonstrou resiliência e postura de estadista. No jogo político há que saber como fazer valer as suas ideias e que formas utilizar dentro da legalidade para as pôr em prática. Está bem de ver que neste cinzentismo em que nos habituámos a viver uma tal postura foi a pedrada no charco que a muitos molhou e outros submergiu!
Mas enfim , temos novo Governo e agora  a palavra de ordem é: ao trabalho!

O Ministério da Administração Interna  foi confiado a uma mulher para quem as questões  da segurança em geral e da migração em particular não são de todo desconhecidas. Como tão pouco lhe é desconhecido o ministério que agora tutela uma vez que ali foi assessora jurídica ao lado de António Costa à época ministro. O clima, depois das várias intempéries, é pois de confiança. A ministra não terá tarefa fácil e sabe-o.

Numa altura em que a ordem do dia é a questão da segurança e fronteiras, terá pela frente um serviço reconhecido quer interna quer internacionalmente, como de excelência, mas a romper pelas costuras, exausto e a necessitar com urgência duma definição de rumo e de estratégia.
A exiguidade de meios humanos, que alguns tentam negar mesmo face às evidências, para a qual vínhamos alertando há anos, revela-se agora de forma premente e a continuar poderá colocar em causa a segurança interna do território nacional.

O SEF tem competência e está apto para assumir as suas funções em plenitude e eficazmente, quer ao nível policial de fiscalização e investigação, quer não policial de documentação, asilo e proteção internacional .
Faltam funcionários, falta uma Lei Orgânica que inclua todo o universo do pessoal que compõe o Serviço. Falta direção e vontade política. Falta cumprir o desiderato para o qual o SEF foi criado. Possa a ministra trabalhar e levar este barco a bom porto.

Devidamente orientados, todos os funcionários remarão para o mesmo lado, pois o objetivo de qualquer servidor público é estar ao serviço do país. Vamos a isto!

Manuela Niza Ribeiro
Presidente do Sindicato dos Funcionários do SEF e professora universitária

Recomendadas

Economias emergentes acusam UE do aumento de preço do gás natural

A anarquia de preços e quantidades nos mercados internacionais do gás natural decorre do desnorte europeu das sanções económicas contra a Rússia, muito mal concebidas porque contra os interesses dos países-membros, mas afetando de sobremaneira os países emergentes de menor poder de compra.

A solidão que tanta falta nos faz

O que acontece quando a vida em conjunto se torna uma escolha forçada e a única alternativa? O que acontece quando escolhemos, de forma constante, abdicar da nossa privacidade?

Proibido poupar

Uma sociedade que oprima a poupança e reduza o indivíduo a uma máquina de consumo será, indubitavelmente, opressora.