Funchal investe 150 mil euros na Feira do Livro

A Feira do Livro realiza-se entre 3 e 12 de junho e terá 31 lançamentos de obras, 56 escritores, 22 editoras, cinco conversas, 15 momentos musicais, 46 sessões de autógrafos, 14 momentos de animação de rua e seis oficinas, referiu a Câmara do Funchal.

A Câmara Municipal do Funchal vai investir 150 mil euros na Feira do Livro, que se vai realizar entre 3 e 12 de junho, anunciou o presidente da autarquia, Pedro Calado.

O autarca referiu que a Feira do Livro terá 31 lançamentos de obras, mais 42% em relação à edição passada, 56 escritores, mais 20%, e 22 editoras, cinco conversas, 15 momentos musicais, 46 sessões de autógrafos, 14 momentos de animação de rua e seis oficinas.

O evento terá como tema “Jovens e Língua Portuguesa” e estará relacionado com o dia de Portugal, de Camões, e das das Comunidades Portuguesas, e terá a participação de jovens de várias escolas secundárias mas também do ensino superior na organização e programação.

O presidente da Câmara do Funchal disse que o objetivo da autarquia passou por fazer “uma feira mais inclusiva, mais dinâmica e muito virada para a juventude” de modo a “evitar o divórcio, o afastamento entre os jovens e os livros e a leitura em resultado de uma sociedade muito digital e informatizada”.

O autarca acrescentou que foi pedido ao Departamento de Cultura da Câmara do Funchal, “que inovasse sobretudo pela participação juvenil, já que a intenção é sensibilizar e aproximar os jovens da leitura e para uma participação cívica ativa e responsável”.

A Feira do Livro terá também um dia dedicado à “vida e obra da passagem do Imperador Carlos da Áustria, na Madeira isto em colaboração com a Diocese do Funchal e que também envolve banda desenhada”.

Recomendadas

Parlamentos da Madeira e dos Açores defendem alargamento dos apoios nacionais às empresas das ilhas

Esta medida “visa estender às regiões autónomas um apoio nacional às empresas, consagrado no diploma que fixa o salário mínimo nacional. Um apoio que neste momento está consagrado apenas para o território continental”, salientou o deputado do PSD Brício Araújo, presidente da comissão Especializada de Administração Pública, Trabalho e Emprego da Assembleia Legislativa da Madeira.

OE2022: PSD lamenta ausência de financiamento adicional da Universidade da Madeira

O deputado do PSD Válter Correia criticou a falta de soluções no Orçamento do Estado de 2022 (OE2022) para a questão do financiamento adicional dos estabelecimentos públicos de ensino superior das regiões autónomas, em particular da Universidade da Madeira. “Tratar com equidade os estabelecimentos de ensino superior insulares é uma responsabilidade constitucional do Estado, cuja […]

Açores: empresários de São Jorge querem “apoios imediatos” à liquidez

Os empresários referem que o tecido empresarial da ilha “estava fragilizado pela situação pandémica”, acrescentando que a situação sísmica “veio agravar as dificuldades de recuperação económica”.
Comentários